sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Cinco promessas para 2019 que podem ser cumpridas na República Dominicana


O ano está terminando, as metas para o Ano Novo não demoram a chegar e a República Dominicana é o destino perfeito para alcançá-las. O país oferece aos visitantes as melhores opções para descobrir novos sabores, viver aventuras emocionantes, reacender a paixão de casal, se conectar com a natureza ou se presentear com uma viagem inesquecível.

"Seja pela primeira vez ou aqueles que sempre voltam, a República Dominicana continua a surpreender viajantes de todo o mundo com experiências de luxo, alta gastronomia, aventuras emocionantes e um ambiente natural único", diz Magaly Toribio, Assessora de Marketing do Ministério do Turismo da República Dominicana (MITUR). "Para aqueles que têm o desejo de viajar em 2019, o destino caribenho está pronto para recebê-los, cheio de encontros inesquecíveis."

A lista a seguir mostra cinco propósitos que não podem faltar em uma lista de metas para 2019 e como realizá-los na República Dominicana:

1- Dê a si mesmo um prêmio

Se estiver terminando o ano de 2018 sobrecarregado com compromissos, responsabilidades e trabalho a ser feito, nada melhor do que recompensar o esforço com a fuga merecida, onde a única preocupação será aproveitar e relaxar. A República Dominicana é uma excelente escolha para isso, já que possui as mais variadas opções para uma viagem de sol e praia, aventura e esporte, descanso ou aventura eco-friendly. 

Em todo o país, existem inúmeros centros de spa com tratamentos e massagens para relaxar o corpo e a mente, além de locais para práticas espirituais de diversificadas disciplinas, como yoga e mindfulness, e retiros focados no contato com a natureza. 


Se a preferência do turista for entrar em experiência mais exclusiva e luxuosa, é possível optar por acomodações com chef e mordomo pessoal, rotas aéreas privadas para admirar paisagens exuberantes, passeios em iates, jogar golfe com os melhores campos nas Caraíbas ou participar de visitas guiadas a enotecas e clubes de charutos de internacionalmente reconhecidos.

2 - Reviva a paixão: 

Se o objetivo para 2019 é fortalecer o relacionamento, a República Dominicana tem a combinação perfeita de romantismo e exclusividade. Desfrutar de um pôr do sol na praia é sempre um excelente plano. Se a preferência do casal é algo exclusivo, é possível fazer passeios de balão de ar quente curtindo uma taça de champanhe em Punta Cana, ter aulas particulares para degustar vinhos em Santo Domingo, aceitar o desafio de escalar o pico mais alto do Caribe e explorar as maravilhosas vistas e a natureza exuberante, ou aproveitar o dia em alguma pequena ilha paradisíaca. 


Em relação à hospedagem, há opções para todos os gostos e orçamentos: é possível ficar em suítes com terraço, jacuzzi e vista para o mar em hotéis cinco estrelas, no ambiente aconchegante e intimista de um hotel boutique, em cabines privativas entre charmosos e gigantes bambus, em quartos exclusivos com serviço de mordomo, ou em um resort all-inclusive.

3- Tente algo novo: 

Que tal 2019 como um ano para descobrir, conhecer e lançar novas experiências? Na República Dominicana, tudo isso e muito mais pode ser cumprido. A cidade colonial de Santo Domingo, reconhecida como Patrimônio Mundial pela UNESCO, é ideal para sentir o passado colonial da América. Museus, monumentos, igrejas e edifícios emblemáticos do Novo Mundo podem ser vistos percorrendo as antigas ruas de paralelepípedos. Outra maneira de descobrir o destino é através do paladar. 


Por todo o país existem restaurantes que oferecem iguarias dominicanas que fundem influências hispânicas, africanas e taino. Não se esqueça de experimentar pratos típicos dominicanos como os bolos em folha, quipes, pratos com frutos do mar e ensopados. Amantes de sobremesas apreciarão a variedade de doces exclusivos que são oferecidos em todos os cantos do país, como o jalao de coco, o doce de cajuil, cocadas no Malecón, o famoso feijão com doces e deliciosos biscoitos mocan.

4- Conecte-se com a natureza: 

Em 2019, renove as energias na República Dominicana. Na região de Constanza se encontra a Reserva Nacional do Verde Ébano, com lindos caminhos que cruzam córregos cristalinos e a floresta tropical nublada. Para se deslumbrar com a observação da vida selvagem, o Parque Nacional Los Haitíses é uma verdadeira joia: fabulosos manguezais, ilhotas e cavernas se misturam ao som de numerosas espécies de pássaros nativos. 


O acasalamento das baleias jubarte é outra visão única que pode ser aproveitada entre dezembro e março nas costas de Samaná. Os amantes de mergulho e snorkeling aguardam experiências subaquáticas únicas nos recifes de coral de Pedernales, dezenas de naufrágios em Montecristi, o colorido peixe da Arena de Cayo, ou mergulho com tartarugas e raias águia em Playa Frontón, Las Galeras.

5- Desafie os próprios limites: 

Cansado de rotina e de sempre fazer o mesmo? A República Dominicana promete surpreender turistas com experiências cheias de aventura e adrenalina. Em Puerto Plata, a capital da aventura do país, a praia do Encuentro de Cabarete é a meca do kitesurf, do windsurfe e do surfe. Para desfrutar do ar as surpreendentes paisagens dominicanas com uma dose de adrenalina, nada melhor do que para saltar sozinho ou com um parceiro das tirolesas de Samaná, nas colinas verdes de El Valle, ou Punta Cana. No país caribenho, além dos parques de aventura, há as tirolesas que percorrem selvas e montanhas de Anamuya. Praticar rapel é uma experiência emocionante. 


Em Puerto Plata, os 27 Charcos de Damajagua, a Cachoeira Ciguapa e o Cogumelo Mágico oferecem cachoeiras que terminam em rios ou piscinas naturais azuis, enquanto em Jarabacoa a paisagem se torna ainda mais acidentada à medida que o viajante passa pelas quedas d'água da cachoeira Baiguate. Nesta região corre o poderoso rio Yaque del Norte, perfeito para experimentar a aventura do rafting.


Fonte: Carolina Rinaldi

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Horta caseira: o impacto da alimentação natural na saúde


Nos últimos anos, temos enfrentado diversos problemas de saúde ligados aos maus hábitos alimentares. A obesidade, alta taxa de colesterol, riscos de problemas cardíacos, diabetes, entre outras, são doenças comuns ligadas ao estilo de vida que levamos. Porém, em um contexto de sociedade, essas doenças são apenas sintomas de que algo está errado com nosso grupo social. Não a toa, passamos a prestar mais atenção e a buscar meios de combatê-las. Apesar disso, uma ação na raiz do problema se faz necessária para curar o problema social - e não apenas seus sintomas.

Uma série de comportamentos destrutivos despertam o mau hábito alimentar, que precisa ser combatido exatamente pelo que é: um hábito. A melhor maneira de se fazer isso é construindo um novo comportamento que te permita trocar relações negativas por positivas. Assim, a saída para se livrar da má alimentação é justamente criando uma cultura de boa alimentação, baseada em seu impacto positivo na qualidade de vida.

Viveremos mais graças aos avanços tecnológicos, mas precisamos viver bem. Com isso em mente, muitas pessoas tem passado a buscar uma alimentação saudável através de alimentos mais naturais, e não apenas isso, criado novas relações com a comida através da mais simples prática milenar da humanidade: o plantio.

Obviamente, ter uma alimentação saudável traz muitas vantagens. É possível eliminar toxinas do corpo, fortalecer o sistema imunológico, perder peso, ganhar vitalidade e até combater males psíquicos, como a depressão. Isso tudo se baseando no simples equilíbrio do organismo, que vem sofrendo muito com o abuso alimentar das junk food, por exemplo. Além disso, a prática relaxante do plantio, cuidado e colheita alimentam um hobbie saudável e prazeroso.

Só parar de comer “besteira” não é o bastante e, muitas vezes, comprar alimentos orgânicos é caro e pouco recompensador, pois isso não ajuda a ressignificar a relação com a comida. A cultura do cultivo próprio de alimentos acaba sendo uma saída mais completa, interessante e revigorante. Em uma horta caseira, agrotóxicos, conservantes, dentre outras coisas, são evitadas, e ao menos uma parte da alimentação consegue ser o mais natural possível.

Os minutos ou horas passados cuidando da terra, aliviam o estresse do dia a dia, estimulam a sensação de recompensa ao colher e comer o que você mesmo plantou - e ainda proporciona bem estar. Realizar um trabalho de jardinagem de plantio é envolvente para toda a família. Felizmente, hoje já é possível ter uma pequena horta caseira em casa, sem ocupar muito espaço, captando água da chuva, irrigando automaticamente, como se faria com qualquer jardim e mantendo grande parte do trabalho automatizado.

A tecnologia liberta as pessoas da parte pesada e complexa do trabalho, porém sem precisar que o processo seja industrial, em escala agrária. Uma horta caseira ainda pode ser um prazer tranquilo e agradável do dia a dia. Muitas pessoas têm jardins em suas casas e apartamentos, e porque não dedicar uma parte desses espaços ao plantio de algo saudável que contribuirá para a alimentação de toda a família? Os benefícios são inúmeros.

O incentivo a essa cultura de cultivo próprio, que já é uma realidade, tem potencial de impactar cada vez mais na qualidade de vida das pessoas. Claro, não é possível se livrar do supermercado ainda, e nem de outros cuidados com a saúde, mas é um passo muito grande, positivo e autônomo em direção a mudar relações com a comida para comer melhor e viver melhor.


                               

Fonte: Danny Braz é engenheiro civil, consultor internacional com foco em construções verdes e diretor geral da empresa Regatec.


terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Como os millennials revolucionam o jeito de viajar


A geração Y, nascida entre 1980 e 2000, mudou muitos hábitos de consumo no mundo, e o turismo não ficou de fora. Nos últimos anos, diversos setores precisaram se adaptar às necessidades dos millennials que atingiam a idade adulta e independência financeira.

Foi-se a época em que se viajava apenas para ver construções e ouvir histórias. A geração Y trouxe uma nova perspectiva para os turistas, que agora preferem um roteiro com atividades em que possam interagir. Por isso, compras e gastronomia, que já eram itens importantes em uma viagem, ganham ainda mais destaque, assim como experiências que ofereçam um pouco da cultura do destino e muita autenticidade: hospedar-se na casa de um morador local, em vez de um hotel, passear de bicicleta ou mergulhar em uma praia deserta fora da rota do turismo tradicional. Tudo isso porque os millennials não querem apenas passar férias em um novo lugar, e sim sentir-se parte dele.

Ser diferente é o fator que motiva diversos setores a apostarem na personalização. Agências de viagem, por exemplo, passaram a trabalhar com roteiros feitos especialmente para cada turista, e outras áreas também precisaram se reinventar.

A diretora de marketing da April Brasil Seguro Viagem, Taís Mahalem, conta que a empresa reestruturou seu portfólio de produtos em 2018, deixando-o mais simples de entender e com mais opções de personalização, também pensando nas demandas dos millennials. “Nosso seguro viagem inclui coberturas obrigatórias, como despesas médicas para acidentes ou doenças pré-existentes. Também oferecemos cobertura completa para prática de esportes e o cliente pode personalizar seu plano, contratando upgrades de acordo com seu perfil”.

A executiva cita uma das garantias adicionais como outra adaptação aos hábitos de viagem da geração Y. “Oferecemos a cobertura para laptops e smartphones, que facilita a vida dos viajantes que estão cada vez mais conectados”, afirma.

Os millennials cresceram junto à tecnologia e a veem como parte do seu dia a dia. No turismo, já existem inúmeros aplicativos para dispositivos móveis: para buscar preços de passagens aéreas e pacotes, para reservar hotéis, para montar roteiros e mais. A April Brasil Seguro Viagem também investiu em seu próprio aplicativo, o APRIL Móvel, em que o passageiro encontra todos os dados do produto contratado, detalhes do seguro e acesso rápido e simples para contatar a assistência.

Outras mudanças trazidas pela geração Y incluem o maior interesse em destinos urbanos, uma vez que estes reúnem muitas possibilidades de experiências, a necessidade de roteiros e destinos mais diversos para saciar sua característica volubilidade e o crescimento de viagens planejadas de forma independente.

Por este motivo, a April Brasil Seguro Viagem atua globalmente, oferecendo cobertura e atendimento em todo o mundo para viajantes como os millennials, que não abrem mão de viajar do seu próprio jeito.


Fonte: Jessica Ferreira


Respeito ao direito dos animais precisa ser difundido nas empresas


Uma empresa consegue se destacar em função de uma profunda visão de mercado e um plano de negócios bem estruturado, assim como pela experiência de seus gestores. Saber antecipar e calcular cada passo faz toda a diferença.

Para a marca se destacar acreditava-se que era necessário adotar como meta a excelência na organização. Isto deve estar presente em todas as etapas do processo: da escolha da matéria-prima, fabricação, embalagem, atendimento, até a entrega para o consumidor final.

Agora surge um novo diferencial, olhar para o futuro do planeta e promover o respeito ao direito dos animais. Neste período, em que a sustentabilidade é muito valorizada, sobretudo nos negócios, ter um processo sustentável, tanto por sua contribuição para o meio ambiente, como por ser economicamente viável, permite que a empresa sobressaia no mercado.

O debate sobre a valorização e o respeito ao direito dos animais teve seu crescimento acentuado na segunda metade do século XX, fruto da conscientização de parte da humanidade em relação à necessidade de garantir a eles uma condição de vida digna. Deve-se ter em mente que, além de uma simples preocupação ecológica, a proteção dos animais também incide fortemente no equilíbrio da comunidade.

O ser humano sempre sofreu uma espécie de Síndrome de Narciso que o levou a construir mitos de si mesmo, como o de considerar-se feito à imagem e semelhança de Deus ou o coroamento da criação. É como se toda a evolução biológica que o precedeu fosse uma espécie de ensaio da natureza para atingir o ápice da perfeição: o surgimento do Homo sapiens. Por sentir-se o centro do universo, o homem reconhecia no animal e nas outras espécies simples "coisas", desprovidas de vida própria, que existem apenas para lhe servir. Mas esta realidade mudou.

A necessidade da sociedade implantar uma nova mentalidade capaz de permitir uma relação de respeito e proximidade com os animais e a natureza em geral, permitiu o desenvolvimento de atitudes preventivas e voltadas para o fortalecimento da cidadania.

O respeito ao direito dos animais, assim como as riquezas naturais, precisam fazer parte dos ensinamentos no treinamento de funcionários nas empresas. É preciso demonstrar que na empresa existe um alto grau de civilidade

A sociedade ainda não atingiu um nível adequado para garantir a proteção aos animais, mas com o crescimento da violência e da miséria nos grandes centros urbanos, grande parte da população está ficando insensível em relação ao ser humano, optando ter em sua companhia os animais domésticos, a quem dedica toda sua atenção, recebendo em troca um amor sincero e fiel. Uma pesquisa publicada no site Society & Animals e realizada por sociólogos e antropólogos da Northeastern University e da University of Colorado confirmou esta teoria. A pesquisa foi desenvolvida para compreender melhor o fato de que, quando há relatos de animais necessitados nas manchetes, o nível de indignação e resposta geralmente é maior do que quando as tragédias são com humanos.

Atualmente o consumidor aceita que as companhias tenham lucros, mas as desafia diariamente a incentivar ações de impacto positivo na sociedade. É um novo comportamento massificado graças aos proativos Millennialls, contribuintes importantes nas mudanças provocadas na relação das pessoas com as empresas e as marcas.

A morte de uma cachorra chamada Manchinha ocasionada por um segurança dentro de uma das lojas de uma rede de supermercados, em Osasco, gerou uma manifestação de protestos nas redes sociais. O caso, que aconteceu no dia 28 de novembro de 2018, mobilizou as pessoas diante da brutalidade contra o animal e despertou nas empresas a necessidade de cuidar da reputação corporativa e orientar os funcionários que os animais têm seus direitos garantidos. A onda de protestos nas redes sociais é um alerta para que outras marcas se preocupem com este tipo de atitude de seus funcionários e impeçam que os animais sejam novamente vítimas de crueldades. Sempre é hora de buscar o aperfeiçoamento. Em uma realidade profissional competitiva, ter uma equipe formada por membros capacitados e sensíveis é um grande diferencial.



Autoria: Vininha F. Carvalho