sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Dia Mundial da Filosofia é comemorado no dia 17 de novembro


Quando pensamos em Educação Infantil, logo nos vem em mente a criança pequena atrelada aos cuidados mais básicos da primeira infância. E apontamos aqui que realmente é isso, é impossível dissociar o educar aos cuidados da mais tenra infância. O nosso enfoque aqui é articular esse cuidado à filosofia. Mas como isso é possível? Pois bem, me explico.

É do imaginário de todos que a Filosofia é uma ciência humana, abstrata e quase que inalcançável aos que ainda não se apropriaram da educação escolar. Porém, ao mergulhar no universo filosófico, percebemos que ela é a base para o pensar. Através do pensamento filosófico que os seres humanos alcançam as funções superiores do pensamento, nome este dado pelo estudioso Lev Vygotsky. 


Em sua obra, “Pensamento e Linguagem”, o autor aponta que para que o pensamento alcance níveis superiores, é necessário que a criança tenha como suporte a linguagem. Quando apontamos aqui a questão da linguagem, destacamos a importância das múltiplas linguagens principalmente na educação infantil, sendo elas, linguagem artística, linguagem corporal, linguagem oral e escrita, linguagem matemática, entre outras.

E é aqui que entra aquilo que consideramos o foco da educação infantil: o brincar. A base para todo desenvolvimento está no brincar, pois será nesse momento que a criança, ao explorar, torna-se uma grande investigadora, e assim, alcança níveis superiores de pensamento, sendo atravessadas necessariamente pela linguagem.

A médica e estudiosa Emmi Pikler dedicou-se a observar bebês na mais tenra infância, ressaltando a importância do primeiro ano de vida de crianças pequenas. Ao observá-las, Emmi Pikler percebeu que os mais básicos cuidados como o banho, a troca, a alimentação, tudo isso influencia no desenvolvimento da criança. 

A criança pequena descobre o mundo e se descobre por meio de seus sentidos. É através dos sentidos que estabelecemos contato entre o mundo interno e o mundo externo. Tudo o que vemos, ouvimos, tocamos, experimentamos exerce um reflexo físico, uma ação pequena, e um reflexo psíquico, sensações e sentimentos. Os sentidos nos informam sobre o mundo externo e transformam nosso mundo interno, o que acontece dentro de nós.

E o brincar é nada mais do que isso, explorar, conhecer um objeto a fundo, sua funcionalidade, e assim criar e (re)criar novas possibilidades. O constante movimento do brincar potencializa a aprendizagem.

O papel do adulto nesse processo de significações é fundamental para a construção do simbólico no pensamento infantil. Ademais, ressaltamos a importância para a construção de vínculos, do afeto, da criação de memórias que ecoam no imaginário das crianças, possibilitando um desenvolvimento sadio e integral. 

O educador ao assumir esse papel de mediador das relações, faz com que a criança pequena perceba a essência do pensamento do outro, possibilitando assim uma melhor socialização e melhor organização do próprio pensamento. É aqui que lembramos do papel filosófico do ato de educar. A criança ao manipular, explorar, vivenciar, investiga tudo que está a sua volta, e assim seu pensamento vai se constituindo.

Poderíamos ficar aqui tecendo mais e mais sentidos sobre tal assunto, porém faz-se necessário um ponto final. Enfatizamos, portanto, a importância do ato de brincar, de experimentar, sentir, explorar, investigar na educação infantil, criando assim a base para o pensamento filosófico e investigativo, sustentado pelo vínculo e afeto, tão essenciais para o desenvolvimento infantil sadio.

                                             


Fonte: Ana Paula Alberto Lopes - professora regente na Educação Infantil do Colégio Marista Champagnat


Um novo olhar da aviação para a tecnologia e experiência do viajante


O mercado de aviação está em constante evolução. Seja com foco no transporte de passageiros de lazer ou de eventos e negócios, a transformação é rápida e constante. Hoje, em um rápido giro pelas principais companhias aéreas nacionais e internacionais é possível identificar um ponto cada vez mais comum: a importância que a tecnologia desempenha para uma experiência positiva do serviço oferecido pela aérea.

As companhias pensam em serviços diferenciados que possam aprimorar a vivência do cliente, seja qual for a idade. Em salas Vips, por exemplo, é possível encontrar espaços kids desenvolvidos para que famílias tenham no tempo de espera de embarque, um espaço de lazer e diversão para as crianças. Durante o voo, muitas companhias desenvolvem menus especiais e canais interativos de conteúdo para entretenimento das crianças.

Mas é no público corporativo que vemos uma grande movimentação das companhias aéreas para que, cada vez mais, esse viajante tenha acesso a serviços que possam ir além do voo tranquilo e em segurança, rumo às reuniões de negócios e compromissos profissionais. Aqui, muito além da experiência figuram as facilidades tecnológicas que as companhias desenvolvem para proporcionar a informação precisa e em tempo real.

Os aplicativos desenvolvidos pelas companhias aéreas, por exemplo, permitem que em apenas um toque, o passageiro – hoje com um perfil muito mais digital e multicanal –, possa obter informações sobre o voo, tráfego de trânsito até o aeroporto, conferir e escolher o menu a bordo ou checar as informações dos filmes que estarão disponíveis durante a rota.

A funcionalidade do check-in online é outro fator que facilita a vida desse viajante, que passa tempo relevante em processo de espera entre o embarque ou uma conexão. Embora as companhias aéreas busquem alternativas para agilizar e aperfeiçoar os processos de embarque ou desembarque, vide as salas Vips, que vamos falar a frente, há ainda um ponto muito sensível no que se refere à infraestrutura de certos aeroportos: mesmo com toda a revolução tecnológica e mudança do comportamento do consumidor, os trâmites burocráticos obrigam o viajante a aguardar por horas pelo embarque, por exemplo, que criam uma certa ociosidade.

Entretanto, aqui vale ressaltar que a segurança do ambiente aeroportuário e dos voos sempre prevalecerão. Por isso, as companhias se curvam a essa necessidade das autoridades, recebendo o viajante com até três horas de antecedência (ou até mais, em alguns casos).

A longa espera para embarque e conexão nos leva à realidade das salas Vips. Antes, um local reservado aos executivos e passageiros Premium, hoje recebe esse público com serviços personalizados. Exemplos disso, são salas Vips que congregam academias, cinemas, espaços de bem-estar e massagem, salas de reunião, ambientes para cochilo, banho e serviços de alimentação para àqueles que preferem dormir durante o voo e se alimentam antes do embarque. E até simuladores de golfe e piscinas.

Os novos hábitos dos viajantes de negócios, que se intensificou a partir de 2016, movimentam em terra o mercado de turismo com a proposta do Bleisure (Businness + Leisure). Exigentes com o passar dos anos, estes passageiros tem um leque de benefícios e opções a perder de vista. Vemos um constante empenho das companhias em oferecer produtos diferenciados por um preço mais adaptado ao budget de viagens das empresas, por exemplo, uma classe Econômica intermediária (ou Econômica Premium), serviços e amenidades que agreguem valor, conforto e, além de boas experiências, degustações inusitadas.

Mas o bleisure também tem impacto na ocupação das aeronaves. Segundo estudo divulgado pela Phocuswright: Global Travel Market Research Company, 64% dos viajantes corporativos estendem os dias de viagens e permanecem nos destinos visitados por até quatro dias. 60% desses viajantes estendem as viagens acompanhados de outra pessoa.

Não à toa, os principais centros de negócios como Nova Iorque, Boston e a própria cidade de São Paulo têm campanhas agressivas junto a este público, incentivando a prática.

Adaptar-se, inovar e trabalhar para essas novas demandas, exige um olhar cuidadoso e contínuo. Na China, por exemplo, já é possível pagar as passagens com o QR-Code. A inteligência artificial traz, em tempo real, informações sobre a viagem, greves que possam impactar o horário do voo, ocorrências meteorológicas, entre outras informações. E o que será dos Blockchains? Ainda não existe um estudo que fale em números sobre essa realidade. Porém, a compra de produtos e serviços por meio de moedas digitais será uma realidade em pouco tempo. Assim, como são os programas de milhagens.

Olhar para frente e vislumbrar as oportunidades, é fator crucial neste processo de conquista e de avanço junto aos clientes. Companhias aéreas estão fazendo a lição de casa com ações interessantes e pertinentes aos diferentes públicos e em uma velocidade compatível com a tecnologia que cerca o segmento.


Fonte: Adriana Cavalcanti - presidente do Conselho Consultivo da WTM Latin America e atuou por mais de 30 anos no mercado de aviação comercial


A Ferrovia Transiberiana é a maior do mundo


O roteiro original parte de Moscou e segue até Vladivostok (pode-se fazer no sentido inverso também) e têm duração de 14 dias. São nove paradas no total, que incluem Moscou, onde o passageiro terá oportunidade de conhecer a Praça Vermelha, a Catedral de São Basílio, o famoso Kremlin e até as estações de metrô, que parecem palácios subterrâneos; Kazan, capital da República do Tartaristão e grande polo cultural da Rússia; Ecaterimburgo, localizada na parte oriental dos Montes Urais, já na fronteira com a Ásia; Novosibirsk, maior cidade da Sibéria, onde há um museu dedicado à ferrovia transiberiana; Irkutsk, repleta de monumentos históricos e considerada a capital oriental da Sibéria; e Khabarovsk, para conhecer importantes museus e fazer um passeio de barco pelo rio Amur, que forma uma fronteira natural entre Rússia e China.

O ponto alto é a visita ao Lago Baikal, Patrimônio Mundial pela UNESCO, que tem 636 quilômetros de comprimento e 80 quilômetros de largura, e é o maior em volume de água doce do mundo, bem como o mais profundo. Lá os turistas farão um passeio de barco, visitarão o singular museu dedicado à fauna e à flora locais - há mais de 1.000 espécies de plantas e mais de 1.500 de animais – e depois poderão fazer compras em um mercado local.

Para quem deseja ampliar a riqueza cultural da viagem, outra opção é percorrer o trajeto de Moscou a Pequim (ou no sentido inverso). O destaque desta rota é que depois da parada em Ulan-Ude, última cidade russa desta rota, o trem desviará da ferrovia transiberiana e seguirá pela ferrovia transmongoliana com sentido a Ulan Bator, capital da Mongólia. 



Lá, os principais pontos turísticos são o mosteiro budista Gandantegchinlen, o maior e mais importante do país; o Memorial Zaisan, em homenagem aos soldados soviéticos mortos na Segunda Guerra Mundial; e a Praça Sükhbaatar, que abriga estátuas de Damdin Sükhbaatar, líder político da Revolução da Mongólia de 1921, e do conquistador Gengis Khan. Por fim, o trem segue viagem e finaliza sua jornada em Pequim.

A Ferrovia Transiberiana é a mais lendária e a maior ferrovia do mundo. Possui 9.289 quilômetros de extensão e quatro rotas distintas, sendo que a principal começa em Moscou e termina em Vladivostok, além de passar por oito fusos horários.

As paisagens cênicas, a cultura e as lendas da mística ferrovia transiberiana podem ser aproveitadas em quatro viagens oferecidas pela Trains & Tours Lufthansa City Center, agência brasileira da TT Operadora, e operadas pela empresa russa IRT (Imperial Russia Train). Trata-se do verdadeiro transiberiano imperial das ferrovias russas e é uma oportunidade única de vivenciar o que a Rússia tem de melhor: a grandiosidade histórica, a mescla de culturas e riquezas e o esplendor arquitetônico.


Fonte: Ana Davini


Ilha da Madeira ganhará 5 novos hotéis em 2019


Não é à toa que a Madeira foi considerada o melhor destino insular do mundo três vezes nos World Travel Awards, os óscares do turismo. A ilha portuguesa está sempre se aprimorando para receber os turistas ainda melhor. Algumas novidades da hotelaria do destino para o ano que vem já foram anunciadas. São cinco hotéis que prometem tornar os dias dos viajantes mais confortáveis e inesquecíveis, somando 790 novos quartos à oferta atual.


Com abertura prevista para o primeiro semestre de 2019, o Savoy Palace é parte de uma rede conceituada na Madeira, onde já possui cinco hotéis de luxo. O ambicioso empreendimento da marca terá cinco estrelas e um projeto que combina o clássico e o moderno. Serão 557 quartos, cinco restaurantes, seis bares e um incrível spa.

Já o grupo Turim, que tem hotéis em diversas regiões portuguesas, irá remodelar uma unidade hoteleira que abriu as portas em 1964 e encerrou suas atividades há dez anos. O Turim Santa Maria será um quatro estrelas com 100 quartos em Funchal, próximo às principais atrações da cidade, como museus e o Mercado dos Lavradores, um dos pontos imperdíveis da capital.


Outro grupo empreendedor que segue investindo no destino é o Pestana, que tem mais de 70 hotéis em Portugal e outros 23 ao redor do mundo, incluindo cinco no Brasil. Serão duas novas unidades da rede: o Pestana Quinta do Arco e o Pestana Churchill Bay, ambos com quatro estrelas. O primeiro, localizado no Arco de São Jorge, terá 56 quartos e será focado na natureza local, tendo villas com vistas para a floresta Laurissilva ou para o oceano Atlântico, piscinas exteriores e um belíssimo jardim de rosas. Por sua vez, o Pestana Churchill Bay será o primeiro hotel a ser construído no centro histórico da cidade de Câmara de Lobos e terá 51 quartos.


Por fim, o Caju Design Hotel pretende ser uma opção para os viajantes mais econômicos. O prédio, onde funcionou o primeiro supermercado da ilha, foi reformado, mantendo a fachada e sua decoração com algumas peças do estabelecimento anterior, além de fotos da época. O Caju contará com 26 quartos, um restaurante e mercearia gourmet, além de localização privilegiada, em uma das ruas mais movimentadas de Funchal.


- Sobre a Ilha da Madeira:

Considerado o melhor destino insular do mundo, a Ilha da Madeira é um pequeno paraíso português situado em meio à imensidão do Oceano Atlântico. De origem vulcânica, sua localização privilegiada proporciona clima ameno e mar com temperatura agradável o ano inteiro, além de impressionantes cenários de montanhas, vales e penhascos, todos cobertos pela exuberante vegetação Laurissilva, nomeada Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco. 


O arquipélago é formado por um conjunto de ilhas, sendo as principais e únicas habitadas Madeira e Porto Santo. Há excelentes opções em balneários, monumentos históricos e ótimos hotéis e restaurantes, onde se pode provar a deliciosa gastronomia e os premiados vinhos madeirenses.

Fonte: Jessica Ferreira