sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Biólogo alerta para perigos que podem vir das águas do mar



O verão é a época do ano em que as praias do litoral brasileiro recebem um número ainda maior de banhistas. Mas, para não estragar o momento de lazer e de descanso, é preciso ter cuidado para evitar possíveis acidentes com alguns perigos que vêm das águas do mar. 

O biólogo João Alberto Paschoa dos Santos, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS), alerta para os três riscos mais comuns e como as pessoas devem proceder em cada caso.

- Água Viva

Em contato com a pele humana, o animal marinho solta uma toxina que provoca irritação e ardência. Mas, na maioria dos casos, o incômodo é passageiro e não demora muito a passar. E a própria água do mar pode ser usada para amenizar a dor. “Ao contrário do que muitos pensam, a água doce piora ainda mais o problema, pois ajuda a liberar o veneno dos tentáculos em contato com a pele”, diz o Biólogo. O problema se torna mais grave só se a pessoa for alérgica.


- Bagre: 

Nos últimos anos, uma onda de incidentes com peixes dessa espécie assustou banhistas, principalmente, no litoral paulista. O Biólogo acredita que muitos casos se deram por falta de atenção das pessoas. Essa espécie geralmente não ataca humanos”, diz Santos. Para ele, muitos se feriram ao pisar em animais que já estavam mortos na areia, provavelmente descartados por pescadores. 


O ferrão do bagre ao entrar na pele também libera um veneno, que provoca uma forte dor. O Biólogo recomenda que a pessoa vá ao hospital mais próximo para receber os primeiros socorros e que não tente se livrar do animal. “Seu ferrão é serrilhado e, ao tentar retirá-lo da pele, pode acabar agravando o ferimento”, alerta.

- Ouriço-do-mar:

Habita principalmente as áreas mais rochosas do litoral, mas também costuma se esconder nas margens do mar sob a areia para se proteger de possíveis predadores. Se pisado ou tocado, os espinhos venenosos em contato com a pele também provocam uma forte dor. 


“Dependendo da espécie, o veneno pode ser mais ou menos potente. E, para algumas pessoas, pode causar náuseas ou até mesmo taquicardia”, diz o biólogo. Por isso, recomenda-se a retirada imediata dos espinhos com o auxílio de uma pinça e também atendimento médico.


Fonte: João Alberto Paschoa dos Santos

Bariloche: uma cidade cheia de história para ser explorada


Encantadora em todas as estações do ano, Bariloche pode ser explorada em cada canto da cidade. Tradicionalmente conhecida pelas estações de esqui na temporada de neve, a cidade também tem tradição com esportes radicais e com roteiros gastronômicos. Mas Bariloche conta também com inúmeros lugares repletos de história e cultura para conhecer e explorar. Abaixo, contamos quais são os mais representativos, são roteiros que podem ser feito a pé.

- Club Andino Bariloche (CAB): na atualidade é a instituição de maior prestígio de montanhas da Argentina. Ela promove e oferece inúmeras atividades, como expedições e explorações das montanhas e suporte a programas de conservação do meio ambiente, durante o ano todo. Também são oferecidos cursos de capacitação, que ensinam os estudantes a transitar pela montanha de maneira segura, aproximando-os da natureza e ensinando-os a respeitá-la. 



Já no verão, o CAB organiza excursões, caminhadas, escaladas na pedra e no gelo e travessias que visitam e percorrem as áreas ao redor, e na própria cidade de Bariloche. Para os adultos que gostam da montanha, o Grupo Excursionistas de Adultos (GEDA) organiza excursões a diferentes lugares com um ambiente relaxado e divertido.

- Catedral Nossa Senhora do Nahuel Huapi: inaugurada em 1946 e de construção neogótica, assinada por Alejandro Bustillo, a catedral está em um parque muito bem cuidado, com caminhos pitorescos e playgrounds. A escultura de Nossa Senhora do Nahuel Huapi reproduz uma imagem que acompanhava o padre Mascardi na sua missão, estabelecida às margens do lago, em 1670. 


A Catedral permanece aberta ao público de segunda a sexta, das 9h às 12h e das 17h às 21h (salvo em eventos especiais). O horário aos sábados e aos domingos é das 9h30 às 12h30 e das 17h às 21h30. Saem caminhadas históricas, guiadas do Centro Cívico até a Catedral.

- Virgen de Las Nieves: na intersecção da estrada para o monte Catedral com o acesso ao bairro Los Coihues se encontra um pequeno lugar chamado Virgen de las Nieves. É um local tradicional de peregrinação religiosa, que tem como característica estar rodeado pelos canais do arroio Gutiérrez. 


O monumento é todo feito em pedra da região. A virgem está na área mais protegida da estrada, resguardada por grade e vidro. O local é um mirante muito frequentado, tanto por turistas quanto pelos residentes locais.

- Estação ferroviária: essa construção nobre é outra das que dão personalidade à cidade. Ela faz o serviço Ferrocarril San Antonio a Nahuel Huapi. Com vias largas, a linha foi iniciada em 1934, a partir de porto San Antonio. Foi finalizado no mesmo ano com a chegada do primeiro trem às margens do lago Nahuel Huapi, o que ajudou a transformar Bariloche em uma cidade turística de relevância internacional. 


No trecho da linha Ingeniero Jacobacci - Bariloche, devido à topografia acidentada da região, tiveram que ser feitos cortes significativos na rocha sólida, pontes e viadutos. A estação conta também com serviço de trem a vapor, que vai de Bariloche a Los Juncos.

- Cerâmica Bariloche: um ótimo programa para os dias chuvosos é visitar o espaço de cerâmica de Bariloche, que fica a poucas quadras do centro de Bariloche, na esquina da Anasagasti com a 9 de Julio. Lá é possível ver de perto como as peças são decoradas à mão pelos ceramistas. 


Na chegada é exibido um vídeo de introdução em vários idiomas, onde é explicado o processo de fabricação dos produtos e a história da empresa. O local também abriga um museu de peças de cerâmica e elementos originais.

- Walking Tour pelas histórias de Bariloche: essa atividade visita os principais pontos históricos da cidade como o Centro Cívico. Em uma primeira visita à Bariloche, essa é a porta de entrada de todos os segredos e atrações da cidade. Se já esteve na cidade, vai ver que sempre há coisas novas para se descobrir; Dez Segredos (e histórias) de Bariloche, Nahuel Huapi, e Patagônia; Tesouros Ocultos do Museu Patagónico e da Catedral; Trekking Europeu: conhecer mais sobre os pioneiros e o legado de 12 autoridades europeias e rastros de 12 nações; Sabores de Bariloche: caminhada com degustação da culinária regional como cervejas, sorvetes, chocolates, entre outras especialidades. Cada um dos walking tours dura em torno de duas horas.



Fonte: Marcia Leite 


Cinco dúvidas frequentes sobre seguro viagem


O seguro viagem ainda pode ser uma grande incógnita para os viajantes brasileiros. Muitas pessoas não sabem para que ele serve ou se é realmente necessário, e acabam deixando de lado um item que é essencial na hora de viajar. Pensando nisso, a APRIL Brasil Seguro Viagem listou e respondeu as principais dúvidas sobre o assunto.

- O seguro viagem é obrigatório?

Diversos países da União Europeia exigem que os turistas tenham um seguro viagem com cobertura mínima de € 30 mil; além deles, Venezuela, Cuba e Equador também têm regras específicas. No entanto, mesmo não sendo obrigatório, o seguro viagem é extremamente importante. Os Estados Unidos, por exemplo, têm o sistema de saúde mais caro do mundo, e até uma gripe pode resultar em um grande prejuízo para quem viaja desprotegido.

- Como escolho o valor da cobertura?
Em geral, a principal característica a que se deve ter atenção ao escolher um seguro viagem é o valor da cobertura para despesas médicas e hospitalares. Na APRIL Brasil Seguro Viagem, elas podem chegar a até 1 milhão. Quanto mais cara a moeda e o sistema de saúde do destino, maior ela deve ser. Os Estados Unidos, por exemplo, pedem coberturas muito altas. Além disso, para mulheres grávidas ou pessoas com alguma doença preexistente, é conveniente contar com uma cobertura mais robusta.

- Preciso de alguma cobertura adicional?
Muitos seguros oferecem coberturas adicionais para complementar o produto. São opções personalizadas para quem quer coberturas mais específicas. Entre as garantias adicionais oferecidas pela APRIL Brasil Seguro Viagem, há o seguro de laptops e smartphones, uma boa pedida para quem viaja com o notebook para trabalhar, por exemplo.

- Quando devo acionar o seguro?

Os produtos têm diferentes coberturas e, por isso, há situações específicas que podem cobrir ou não. Mas a principal situação é a necessidade de assistência médica e odontológica. Nestes casos, é importante entrar em contato com o seguro para que eles o encaminhem para os prestadores autorizados, assim você será atendido sem precisar pagar nada.

- Como faço para acionar o seguro?
Cada empresa trabalha de uma maneira. Na APRIL, existem várias formas de acionar a assistência: pelo telefone (que aceita ligações a cobrar), por e-mail ou mesmo por chat ou SMS. A companhia conta ainda com um aplicativo para celular, o APRIL Móvel, em que o passageiro encontra dicas de viagem, todos os dados do produto contratado e até um canal direto para contatar o seguro.



Fonte: Jessica Ferreira

É preciso conter a queda de árvores durante o período de chuvas


O verão é marcado por ser um período de chuvas intensas em muitas cidades do Brasil. No entanto, junto dos temporais, a estação traz o recorrente problema do aumento no número de quedas de árvores em áreas urbanas, o que pode ocasionar acidentes, provocar a falta de energia e causar transtornos no trânsito.

Parte desse transtorno pode ser evitada de maneira simples: com investimentos na manutenção preventiva das árvores urbanas. Afinal, na grande maioria das vezes, isso ocorre porque elas não recebem os cuidados necessários, não são podadas constantemente ou estão em locais indevidos. Porém, é importante destacar que esse é um trabalho que deve ser feito ao longo de todo o ano. Somente assim, será possível realizar o tratamento adequado e minimizar drasticamente o número de árvores condenadas.

Outro ponto que deve ser destacado é que todo corte ou poda em locais públicos e particulares depende de uma autorização da prefeitura municipal ou de um órgão estadual competente. Além disso, o trabalho só pode ser feito por profissionais capacitados, como engenheiros florestais, agrônomos, biólogos e técnicos. Apenas um especialista poderá definir o momento ideal para as podas de limpeza, corte de galhos mortos e até mesmo avaliar qual é a adubação correta ou o tratamento fitossanitário ideal para evitar a infestação de insetos.

Faz parte também do trabalho desse especialista ajudar a identificar o tipo de corte para cada estrutura de árvore, evitando que um serviço inadequado interfira no equilíbrio dela e, consequentemente, a torne mais suscetível a quedas. Em casos mais extremos, caso exista um risco de tombamento, esse profissional pode solicitar a remoção imediata da árvore.

Vale lembrar ainda que, para cada etapa do processo de manutenção, existem ferramentas específicas, como podadores de galhos, motosserras e sopradores, que são capazes de realizar o trabalho de forma correta e segura. Nesse sentido, o avanço tecnológico proporcionou melhorias expressivas ao segmento, com equipamentos mais potentes, versáteis, leves, ergonômicos e fáceis de manusear. Sem contar que, eles também são capazes de reduzir o consumo de combustível e de emitir menos poluentes, o que minimiza impactos ao meio ambiente.

Diante da questão, podemos notar que se trata de um tema que merece um cuidado especial, pois, se por um lado, é importante ter cada vez mais áreas verdes compondo a paisagem, por outro, é fundamental monitorar para que elas estejam fortes e saudáveis. Afinal, a ideia de ter uma fonte de sombra e ar puro na porta de casa não pode se transformar em um problema. É necessário cuidar da maneira adequada para que as árvores garantam mais qualidade de vida nos grandes centros urbanos.



Fonte: Mario Fortunato é gerente de produtos da Husqvarna para a América Latina.