ESG no RH: como alcançar melhores resultados




A sigla ESG vem ganhando cada vez mais espaço no mundo corporativo. Apesar de essa ser uma tendência mais presente no mercado financeiro, já posso dizer que ela veio para ficar.

A sigla faz referência ao termo em inglês Environmental, Social and Governance, que na tradução para o portguês fica Ambiental, Social e Governança. O destaque do termo está relacionado à importância de que esses temas sejam colocados em pauta nas empresas.

Essa mudança de paradigma já ocorre há algum tempo, mas tem ganhado maior peso no Brasil nos últimos anos. O destaque do tema serve para impulsionar a conscientização quanto à urgência de as empresas tratarem de demandas fundamentais, como diversidade e inclusão, mudanças climáticas, segurança do consumidor, compliance e muitas outras.

- Por que empresas que adotam o ESG têm melhores resultados?

Investidores e consumidores de todo o mundo estão pesando fatores que vão além do peso da marca, qualidade do produto e lucros e receitas da empresa. Uma das exigências modernas é que as empresas apresentem boas práticas relacionadas à governança, ao social e à sustentabilidade.

Dessa forma, a importância dos princípios ESG nas empresas só tende a crescer. Adotar uma política alinhada com as melhores práticas nessas áreas traz uma série de impactos positivos para os negócios, como veremos a seguir:


Crenças e valores:

As empresas precisam se importar com a sociedade na qual estão inseridas. Além disso, devem desenvolver um relacionamento sólido com todas as pessoas, organizações e locais impactados por elas de alguma maneira.

Por esse motivo, é preciso ter em mente que estar alinhado aos princípios ESG é a coisa certa a ser feita. As empresas precisam repensar seu papel como importantes agentes sociais que são.


Compliance:

Empresas que investem em boas práticas de ESG correm menos riscos de problemas jurídicos, fraudes, trabalhistas ou processos por impactos ao meio ambiente. Isso porque fazem sua parte para construir um mundo mais ético, justo e saudável.

Mais preparo para mudanças no mercado:

Empresas que adotam ESG conseguem atuar de forma eficiente a partir de diferentes perspectivas, já que estão posicionadas em um contexto no qual o padrão de consumo, as leis e as normas tendem a mudar rapidamente. Por esse motivo, estão mais preparadas para lidar com possíveis disrupções e inovações que se apresentem no futuro.

Mais investimentos:

Atualmente, podemos observar que há uma movimentação no mercado financeiro na qual os investidores estão usando cada vez mais sua posição de influência para aplicar seu capital em negócios com propósitos, e os investimentos ESG são prova disso.

De acordo com a XP Investimentos, já é possível ver um aumento do fluxo de capital para ativos ou fundos alinhados com o ESG.


Mudança no comportamento dos consumidores:

A mudança no comportamento dos consumidores, que devem optar cada vez mais pelo consumo consciente, é outro fator que pressiona a adoção de uma agenda ESG nas empresas.

Além de pesquisas já mostrarem essa tendência, as novas gerações, como a Geração Z, que são mais engajadas no tema, já representam uma boa parte da população mundial e têm grande poder de compra e influência nesse sentido.


Resultados dos negócios:

A Ágora Investimentos realizou um estudo que mostrou que ter um alinhamento com os princípios ESG traz uma série de benefícios para as empresas, como: crescimento da vantagem competitiva, melhora da reputação, aumento da lucratividade e aumento do valuation ao longo do tempo.

O relatório revelou, ainda, que os negócios que se importam com as questões ESG tendem a se destacar em suas áreas de atuação e ter um desempenho financeiro melhor do que as concorrentes, atraindo mais investidores.


Qual o impacto do ESG nas empresas?

Os princípios de ESG envolvem ações em várias frentes, e por conta disso, precisam de um grande esforço por parte das empresas.

Mas, antes de sair criando e implementando novas ações, é preciso identificar internamente um senso de propósito, ou seja, que se defina qual é o valor de integrar ESG aos negócios.

Ao fazer esse levantamento, é preciso analisar também como os fatores abordados na agenda são tratados atualmente na organização e quais as mudanças que precisam ser instauradas para se adequar.

Como incluir ações de D&I na agenda ESG das empresas?

A diversidade e a inclusão fazem parte dos princípios ESG, sendo inseridas nos pilares de Social e Governança. Isso significa que são critérios considerados por investidores que utilizam o modelo para avaliar o impacto de um investimento.

Nesse sentido, a implementação de um programa com ações concretas é um passo crucial para que as empresas se tornem mais diversas e inclusivas e, assim, estejam de acordo com o ESG.

Dessa forma, itens como a formação de equipes diversas, a preocupação com a construção de um ambiente inclusivo e seguro para diferentes grupos, bem como a diversidade em cargos de liderança, a equidade salarial e outras ações nesse sentido devem fazer parte da análise, e indicam se as empresas seguem ou não as diretrizes ESG. Esse alinhamento pode ser avaliado de várias formas, como: verificando os resultados da gestão de RH ou os índices de turnover e retenção de talentos.

Além disso, também é possível olhar para os indicadores de diversidade e inclusão, a adoção de programas, o seu impacto, ou até mesmo para o posicionamento das empresas na sua estratégia de comunicação.


O impacto do ESG no RH:

Investir em ESG pode trazer benefícios para a atração e a retenção de talentos e de clientes. O alinhamento a propósitos sociais, ambientais e de governança é essencial para a manutenção da competitividade no mercado, ou seja, quando uma marca entrega produtos e serviços de qualidade e também está comprometida com causas de responsabilidade social, ela automaticamente ganha destaque em sua reputação.

Quais ações o RH pode adotar para colaborar com o alinhamento aos princípios ESG?

Como responsável pelos processos de recrutamento e seleção, gestão de pessoas e ações de endomarketing, o RH tem a missão de planejar e articular ações com as demais equipes da organização.

É preciso que não somente a diretoria esteja engajada, mas também que as lideranças se alinhem às práticas e que todos os colaboradores tenham conhecimento e ajam de acordo com o que a empresa está realizando.

Empresas que adotam o ESG respeitam práticas ambientais, sociais e de governança, por isso é necessário que todos ajam de acordo com isso. Fazer com que todos se engajem é, essencialmente, uma função liderada pelo RH.

Confira algumas ações que podem ser realizadas:

Implementar boas práticas de segurança da informação;

Estar em compliance com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);

Uso de sistemas tecnológicos para substituir atividades analógicas;

Diversificação de vagas e contratações ;

Certificações ISO de segurança, GPTW (Great Place to Work) e selos ambientais;

Ações de saúde física e mental dos colaboradores.

As empresas devem avaliar as possibilidades de aplicação dessas práticas de acordo com a sua realidade. A área de RH pode assumir um papel de protagonismo na empresa ao levantar essa bandeira, mostrando todos os benefícios que isso pode trazer.


- Como o RH pode colocar o ESG em prática?

Além de criar novas ações, o RH também pode realizar:

Treinamentos com os colaboradores;

Revisão das políticas internas;

Contratação de profissionais com perfil diverso;

Estabelecer um programa de recompensas para os colaboradores que adotam as práticas ESG;

Direcionar os funcionários para que atuem como embaixadores e promotores das práticas ESG na empresa;

Mostrar seu posicionamento e práticas socioambientais via redes sociais e outros meios.

Ademais, o RH também pode ajudar a empresa na elaboração de um manual de boas práticas ESG. Esse material pode ser fornecido para todos os colaboradores e para as novas contratações durante o processo de integração. Assim, todos terão um direcionamento para seguir práticas sustentáveis.


Fonte: Renato Dias - publicitário com pós-graduação em administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). 

Comentários