De corporativo para empreendedor, como fazer essa transição?


Hoje, queria começar este texto pelo passo zero do empreendedorismo, que vale tanto para quem está escolhendo uma franquia como para quem quer começar qualquer negócio, vale para os dois. Que é o movimento de olhar para dentro antes de empreender. É preciso saber o que faz sentido para cada um antes de procurar uma franquia ou escolher qual setor investir.

Eu já vivi essa jornada de migrar do mundo corporativo para me tornar empreendedor e sei o quão ansioso ficamos para deixar de ser funcionário de algum negócio e passar a ser empresário. Ficamos ansiosos para tomar essa decisão o mais rápido possível e fazer essa transição de forma acelerada, mas, se não olharmos para dentro, para o que faz sentido para cada um, não saberemos, de fato, qual caminho escolher e é possível acabar pegando qualquer oportunidade que aparece.

O dinheiro é um fator muito importante, porém, essa questão do sentido será o fomentador no momento em que você precisa de energia, nos momentos de desafios, por isso é importante ter esse sentido tão claro e definido. Somente assim, você terá a disposição para persistir, acordar mais cedo, fazer o negócio dar certo quando as dificuldades chegarem – e vão chegar. Ter essa conexão com o propósito faz você dar o passo adicional.

Mas o que é esse olhar para dentro?

Vamos exemplificar, pense em um salão de beleza, uma hamburgueria e venda de seguros. São três jornadas empreendedoras totalmente distintas e que podem fazer ou não sentido para cada pessoa. No salão, você precisará lidar com uma equipe com perfil específico, realizar ações e marketing para atrair clientes, definir e manter a qualidade dos serviços, cuidar financeiramente do negócio, entre outras funções. Se pensarmos na hamburgueria, será preciso fazer compras semanais ou diárias de produtos, com uma equipe diferente, focando também na qualidade dos produtos para se diferenciar da concorrência.

Por outro lado, o vendedor de seguros é autônomo, não tem equipe no primeiro momento, mas precisa ter resiliência ao ligar para dezenas de pessoas desconhecidas, receber vários “não’s” para, então, receber o primeiro “sim”.

Repare que são muito diferentes e que vão se encaixar em determinado perfil. A principal dica é segurar a ansiedade, parar e estudar os setores, olhar para dentro de você e ver o que faz mais sentido para a sua personalidade, para o que você deseja como rotina e futuro.

Muita gente quer empreender e tem dúvida para onde ir. É normal, já que existem centenas de caminhos que você pode trilhar, desde formato até setores. Para auxiliar, é possível encontrar profissionais dedicados a esse processo. E eu garanto, é vital essa procura. Eu mesmo fui atrás de um profissional nesta migração e esse processo é espetacular, pois essa ajuda pode acontecer de diversas formas.

Outra dica é conversar com quem vive aquilo que você está pensando em viver. Quer abrir uma hamburgueria? Converse com o dono de uma hamburgueria, entenda as dores que ele vive, como é a rotina, quem sabe até trabalhe um período em uma, para ver se é aquilo mesmo que você pensa e deseja. Somente este contato vai te esclarecer se você consegue encarar esses desafios.

Centenas de negócios abrem e fecham por ano, e quando não há clareza nos diversos aspectos que envolvem o sucesso, influenciam nessa prematuridade de fracasso.

Eu costumo sempre dizer que o CPF por trás do CNPJ precisa estar muito bem resolvido quanto ao setor que está entrando para que consiga tocar esse negócio e conseguir fazê-lo ter sucesso.



Fonte: Eduardo Santinoni - sócio fundador da Y Consultoria, especializada em crescimento de redes.

Comentários