Perspectivas e tendências do RH para 2023

.



Com 2022 finalizando, os líderes de RH estão começando a definir suas prioridades para o próximo ano. Mas o que moldará as alterações no mundo do trabalho em 2023? Há um tempo as organizações vêm falando em reinventar a gestão de pessoas. A ascensão de modelos de trabalho híbridos ou remotos e o desejo crescente de que os funcionários sejam vistos como pessoas e em sua particularidade – torna este um momento importante para repensar o propósito e o valor do setor de RH dentro da organização.

- Retenção de funcionários:

A retenção de funcionários é uma das principais prioridades das empresas para 2023. Manter a equipe a bordo está no topo da lista, seguido pelo recrutamento e cultura da organização, de acordo com uma pesquisa da HR Reporter.

Mas como os funcionários podem ser conquistados para permanecerem nas organizações? De acordo com a pesquisa da Paycor feita com líderes de RH, 22% defendem que a cultura da organização precisa ser repensada para que os colaboradores se sintam atraídos, 21% defendem que os salários precisam ser maiores e 18% prezam por horário flexíveis.

Embora o dinheiro possa realmente atrair grandes talentos e os horários flexíveis possam atrair colaboradores jovens, a única coisa que nem o mais forte concorrente do setor pode vencer é uma cultura empresarial consolidada e – seus valores, crenças, comportamentos e atitudes é que vão ditar se os funcionários se sentirão confortáveis para permanecer e evoluir dentro da organização.


- Os objetivos serão pessoais e profissionais:

A definição de metas e o feedback são significativos quando ajudam os funcionários a vincular diretamente suas contribuições às metas da organização. No entanto, o contexto pessoal também é importante. 82% dos profissionais entrevistados na Pesquisa de Funcionários do Gartner 2021 EVP disseram que queriam que sua organização os visse como pessoas, não apenas funcionários.

Na próxima evolução do setor, os líderes de RH devem buscar a integração entre objetivos pessoais, como bem-estar e aquisição de habilidades – não diretamente relacionadas ao seu trabalho – com habilidades, metas e atividades desenvolvidas no trabalho. De fato, será um grande desafio, tanto para as empresas como para os colaboradores, mas a recompensa será gratificante para ambas as partes.

Promover um ambiente no qual os funcionários possam discutir abertamente essas metas pessoais com seus gerentes irá equipar os funcionários com ferramentas de autoavaliação para acompanhar seu progresso em relação às metas pessoais e profissionais.


- Feedbacks e desenvolvimentos se tornarão automatizados:

Os funcionários entendem, ainda melhor do que seus gerentes, o tipo de feedback e suporte ao desenvolvimento de que precisam para melhorar seu desempenho, mas muitas vezes não têm a facilidade de participar ativamente do processo.

Muitas organizações aumentaram o investimento em tecnologias de monitoramento de produtividade de funcionários, especialmente no mundo híbrido. A coleta e a análise automatizada de dados sobre as atividades dos funcionários podem ser poderosas para ajudar os colaboradores a entender como estão se saindo e onde há espaço para melhorias.

No futuro, essa tecnologia automatizará os processos de feedback e fornecerá feedback oportuno e baseado em dados aos funcionários.

À medida que a tecnologia cresce e os funcionários se tornam mais proativos no gerenciamento diário de seu próprio desempenho, o foco dos gerentes passará de análises sobre gerenciamento de desempenho para apoiar o desenvolvimento e o caminho da carreira dos funcionários. Os líderes de RH precisarão equipar os gerentes com os recursos para nutrir talentos, enfrentar situações de trabalho desafiadoras e ajudar os profissionais a tomar decisões sobre seus próximos projetos e habilidades.


- RH 5.0:

Não podemos falar de mudanças do setor sem citar o RH 5.0. Essa tendência tem como principal objetivo o bem-estar dos colaboradores e ambientes de trabalho agradáveis. O setor de recursos humanos passa por diversas mudanças para acompanhar os novos comportamentos sociais, e agora, as pessoas priorizam cada vez mais o bem-estar, a saúde física, mental e emocional.

No modelo de RH 5.0, os líderes devem apostar nos bons exemplos, no trabalho em equipe e nos feedbacks construtivos e deixar o autoritarismo e a punição por erros no passado. Quando o setor passa a investir na satisfação dos funcionários, os mesmos tendem a criar uma relação prazerosa com o trabalho, gerando mais engajamento, produtividade e resultados positivos para a empresa.

- As tecnologias devem auxiliar a empresa como um todo:

No último HR Technology Conference & Exposition, realizado em Las Vegas entre os dias 13 e 16 de setembro, foi pontuado que um dos principais assuntos que o setor deve abordar em 2023 é a ampla otimização da tecnologia para as empresas.

Muito se fala sobre como as tecnologias devem ajudar o RH, principalmente na digitalização de processos manuais burocráticos, mas o que os palestrantes defenderam no evento é que esses recursos digitais devem auxiliar a empresa como um todo, ou seja, em 2023 as instituições devem englobar também os departamentos e seus colaboradores em processos tecnológicos e não somente o RH.

O RH do futuro deve se preocupar em como os profissionais vão lidar com as mudanças e com a adesão de novas tecnologias em suas atribuições e como isso pode ser benéfico para a corporação.


- Experiência do colaborador:

Outro ponto muito abordado durante o HR Technology Las Vegas foi a experiência do colaborador.

Melhorar a experiência do colaborador deve ser uma estratégia prioritária para esse momento. As empresas passaram a entender que o propósito dos profissionais dentro de uma corporação desempenha um papel fundamental sobre o seu engajamento, postura profissional e desenvolvimento no trabalho.

De acordo com uma pesquisa do Gallup, um terço dos trabalhadores globais concordam fortemente com a afirmação “A missão ou o propósito da minha organização me faz sentir que meu trabalho é importante para a sociedade”. Isso explica a importância de desenvolver uma experiência do colaborador forte e consolidada, principalmente para empresas que querem construir uma equipe sólida.

Portanto, podemos dizer que o pilar central que une todas as mudanças previstas para o RH em 2023 terá como objetivo focar mais no fator humano. Para se manterem competitivas no mercado atual, as empresas devem investir cada vez mais no bem-estar de seus colaboradores e é questão de tempo para essas mudanças impactarem a sua organização.



Fonte: Paulo Oliveira - Gerente de Marketing da Apdata

Comentários