Flórida vira novo epicentro financeiro dos EUA

                     




Número de hedge funds - empresas de fundos de cobertura - ativos no estado pulou de 211 em 2019 para quase 400 em 2022.

A chegada de grandes empresas como Citadel e Citadel Securities abre espaço para um cenário animador para a Flórida conquistar uma força econômica que não seja apenas focada no turismo. Este fator consolida o estado como um centro importante para empresas de fundos de cobertura, as chamadas "hedge funds" – investimentos que operam com diferentes ativos e estratégias, poucas restrições, diferente do investimento tradicional, e focam em proteger capital e gerar alto retorno.

Após a mudança de endereço das empresas de Ken Griffin, outras companhias voltaram seus olhares para Flórida. Segundo dados do Preqin Pro, em 2019 havia 211 "hedge funds" ativos na Flórida. Já no acumulado de 2022, esse número pulou para quase 400. Sendo assim, nomes como Balyasny Asset Management, ExodusPoint Capital Management, Millennium Management, Elliott Management e Aurelius Capital Management agora possuem escritórios ou sede na Flórida.

Em setembro de 2022 o CEO da FTX, Sam Bankman-Fried, anunciou que a exchange de criptomoedas mudará a sede para Miami. Vale lembrar que a empresa chegou em Chicago no começo desse ano. Outra que escolheu a Flórida como novo endereço é a fintech FundKite, que mantém um escritório em Nova Iorque.

Recentemente, Ale Resniko, CEO da Belong, startup imobiliária, anunciou que a empresa sairá da Califórnia e se estabelecerá em Miami. Diversas instituições dos setores de aeronaves, cruzeiros e hotéis também possuem em seus planejamentos a transferência para a Flórida. Além disso, a revolução do trabalho remoto estabelece uma nova possibilidade de escolhas para pessoas físicas e jurídicas e é um dos fatores que impulsiona essa migração para a Flórida.

De acordo com Daniel Ickowicz, diretor de vendas da Elite Internacional Realty, – consultoria imobiliária que atua há mais de 30 anos nos Estados Unidos – a Flórida pode ser um epicentro do setor financeiro dos Estados Unidos. “Para alguns economistas, por exemplo, Miami já é considerada a "Wall Street do Sul". Claro que há uma longa jornada para que Flórida seja considerada efetivamente uma alternativa ao polo empresarial de Nova Iorque, mas aqui existem diversas oportunidades para o mercado, com diferentes possibilidades para empresas pequenas, médias e grandes. Os empresários estão empolgados com essa mudança para a Flórida e já assinam longos contratos para permanecerem na região”, comenta Ickowicz.

Diante desse cenário, empresas grandes e influentes ajudam a impulsionar a região, o que impacta também no estilo de vida da população local e pode gerar muitas oportunidades de emprego, uma vez que a chegada de novos empresários ao estado prospecta a migração de outras empresas e consequentes novas vagas.


Fonte: Daniela Garbez

Comentários