Como montar um planejamento para melhorar a relação com o dinheiro?




Seus gastos precisam de um plano. Muitos de nós estamos preocupados com o futuro e como isso pode impactar nosso dinheiro. Por isso, é importante criar uma estratégia para uma melhor segurança financeira. 

O planejamento financeiro pessoal é um plano que você cria no presente e projeta para o que quer no futuro, seja com metas de curto, médio e longo prazo. Não vale só para aqueles com muito dinheiro. Independente da sua renda, ter um plano vai proteger você de uma fase ruim, ajudar a pagar dívidas e economizar para qualquer objetivo.

Segundo pesquisa Radar FEBRABAN, a maior parte dos brasileiros (51%) acredita que a situação financeira familiar só irá se recuperar depois de 2022. A Fincare N26, fez um levantamento com os N26 Insiders (primeiros usuários do app), e 79.2% disseram que cuidar do dinheiro é algo que preocupa bastante.

Dicas para você começar a fazer um bom planejamento financeiro pessoal e melhorar a sua relação com o dinheiro:

1. Estabeleça metas:

O primeiro passo é se perguntar: "O que eu mais valorizo na vida?", "O que me faz feliz?". Uma das melhores formas de responder essas perguntas é pensar que tipo de vida você gostaria de viver no futuro, por exemplo comprar uma casa própria, ter filhos, ou poder viajar durante sua aposentadoria. Seja quais forem suas metas, você vai ter que considerar um impacto em seu plano de finanças pessoais, já que é ele que te ajudará a cumprir esses objetivos.

2. Priorize suas metas:

Agora que você conhece suas prioridades e tem ideia do tipo de vida que gostaria de ter nos próximos anos, é importante estabelecer prioridades para cada objetivo, adaptando eles para os momentos de sua vida. Por exemplo, se o seu objetivo é quitar uma dívida, se aposentar jovem e viajar o mundo, nesta ordem de prioridade, assim que a dívida for quitada, é importante começar a guardar dinheiro para a aposentadoria. No entanto, uma vez que você juntou o suficiente, pode ser interessante começar a guardar para uma viagem pelo mundo.

Se você não tem certeza sobre como economizar para sua aposentadoria, considere o seguinte. Vamos supor que você está na casa dos 30 anos e recebe R$3.500,00 por mês. Se você deixar 8% organizado em um space "Aposentadoria" durante os próximos 35 anos - ou seja, colocar R$280/mês em algo que te dê 100% do CDI - quando você estiver com 65 anos, vai poder contar com algo em torno de R$700.000 contando os juros simulados com um CDI de 9,35%/ano (que é mais baixo do que está agora, inclusive).

3. Crie um orçamento:

Após essa viagem para o futuro, está na hora de voltar para o presente e olhar sua situação financeira atual. Mas antes do passo a passo pra criar o orçamento, vale te tranquilizar que tá tudo bem sair do plano algumas vezes, é só ter consciência disso e tentar equilibrar num próximo mês.

Primeiro, anote todas as suas entradas (renda) e saídas (despesas) durante 30 dias. Agrupe elas em gastos fixos e variáveis. São considerados gastos fixos aluguel, seguro do carro ou energia. Já os gastos variáveis são flexíveis e incluem por exemplo o dinheiro que você gasta com delivery, quando sai para a balada ou quando vai cortar o cabelo. Com isso, avalie seus custos variáveis e veja onde você poderia gastar menos. Considere usar um aplicativo de gerenciamento de finanças para o processo ficar mais fácil.

Economize todo mês uma quantia do que pertencia a seus gastos variáveis. Tente seguir o método 50/30/20. Ele pode te ajudar nesse processo. A ideia é dedicar 50% da sua renda em gastos fixos e 30% para gastos variáveis. 20% ficam guardados para seus planos, podendo ser usados por ordem de prioridade, como 5% para quitação de dívidas, 10% para seguro de vida e outros 5% para aposentadoria. Por fim, reveja seu orçamento todo o mês.

E agora?

Com uma ideia clara de seus objetivos e uma boa noção do seu orçamento, você poderá começar a pensar nos próximos passos do seu planejamento. Inclua dados sobre sua renda, gastos, dívidas e seguros, e quais são os seus principais objetivos. Se há dívida, a quitação dela deve ser sempre o ponto de partida, pois pode apresentar altas taxas de juros, limitando o que você pode economizar. Em último caso, tente ao menos pagar o mínimo todo mês para evitar entrar em mais outra dívida.

Criar um fundo de emergência também pode ajudar a proteger você de imprevistos financeiros. Idealmente, ele deve incluir de três a seis meses de seus gastos fixos, mas também pode incluir seus custos variáveis.

O seguro de vida também é uma opção interessante para proteger contra qualquer gasto considerável que possa atrapalhar seu planejamento. Preparar-se para imprevistos pode ajudar você a economizar bastante dinheiro, além de aumentar sua segurança no dia a dia.

Com essas dicas, é só começar a seguir seu planejamento para atingir seus planos de curto, médio e longo prazo. Quanto antes começar a poupar, mais você poderá se beneficiar de juros compostos, comuns em contas dedicadas especificamente para esse fim.



Fonte: Monique Azeredo

Comentários