As instituições financeiras aumentaram o uso da tecnologia da informação.

       
                 
                            


A pandemia acelerou a transformação digital. As instituições financeiras aumentaram o uso da tecnologia da informação. Elas dependem agora mais fortemente de soluções digitais e remotas para realizar suas operações diárias e fornecer seus serviços aos clientes. Embora isso tenha trazido benefícios, a crescente dependência de soluções digitais também expandiu o risco de ataques cibernéticos.

Os riscos cibernéticos são considerados um dos principais riscos globais para o setor financeiro e a economia como um todo. O tipo de riscos de TIC a que os empreendimentos estão expostos não se alterou nos últimos anos, no entanto a frequência dos incidentes e a magnitude do seu impacto nas entidades financeiras aumentou.

À medida que as ameaças de segurança cibernética ao setor se intensificam, os bancos e as instituições financeiras não têm escolha a não ser se tornarem proativos e investir na construção de resiliência cibernética.

- Ameaças de segurança cibernética:

As organizações de serviços financeiros sempre foram o principal alvo dos cibercriminosos, mas hoje estão mais vulneráveis. Os esforços de transformação digital no setor de serviços financeiros foram acelerados drasticamente devido à mudança de comportamento e preferências dos clientes, às interrupções causadas pela pandemia e ao aumento do trabalho remoto. As organizações mudaram para infraestruturas baseadas em nuvem, o número de endpoints se multiplicou e a superfície de ataque se ampliou. Assim, os invasores tinham mais pontos de entrada para explorar e obter acesso aos ativos.

Bancos e instituições financeiras sempre foram alvos lucrativos com seus vastos ativos financeiros e ricos recursos de dados. No entanto, os esforços de transformação digital levaram as organizações a gerar muito mais dados hoje, informações que os cibercriminosos podem usar sozinhos, vender no mercado ilegal ou ameaçar destruir a empresa a menos que um resgate seja pago.

Apesar das iniciativas de transformação digital, o setor de serviços financeiros ainda possui muita tecnologia legada e sistemas de TI fragmentados que não podem ser substituídos, pelo menos no curto prazo, devido às suas principais funcionalidades ou dados.

Hoje, as 5 principais ameaças à segurança cibernética para o setor financeiro são:

- Phishing


- Ransomware


- Ataques DDoS


- Falsificação


- Serviços de terceiros inseguros

Confira 7 maneiras de se proteger contra ataques cibernéticos:

1- Estabeleça e implemente uma estrutura de segurança formal

As organizações de serviços financeiros devem alinhar seus imperativos de negócios com os padrões regulatórios e de conformidade relevantes. Várias estruturas formais de segurança estão disponíveis para que as instituições do setor gerenciem seus riscos cibernéticos de forma mais eficaz, cumprindo as obrigações de conformidade.

2 - Tenha uma estratégia proativa e abrangente de gerenciamento de riscos

As organizações de serviços financeiros precisam adotar uma perspectiva proativa e abrangente para o gerenciamento de riscos. Essa tática, deve ter uma visão holística dos riscos cibernéticos entre pessoas, processos, tecnologia e terceiros, em vez de se concentrar apenas na tecnologia ou nos processos.

3 - Realize continuamente o monitoramento inteligente de ameaças

Os invasores podem entrar nas redes financeiras e permanecer lá sem serem detectados por meses e até anos, causando danos irreparáveis. Para evitar ameaças cibernéticas ao setor financeiro, você precisa estar em vantagem. E para isso, o monitoramento inteligente e em tempo real de ameaças é essencial. Todas as solicitações, atividades de rede, comportamento do usuário, padrões de tráfego e assim por diante precisam ser monitorados de perto e continuamente.

4 - Implemente processos eficazes de gerenciamento de vulnerabilidades

Vulnerabilidades não seguras criam brechas em sua postura de segurança, fornecendo aos invasores pontos de entrada fáceis em seus sistemas e infraestrutura. Diante da intensificação das ameaças de segurança cibernética ao setor financeiro, você precisa de processos robustos e eficazes de gerenciamento.

Eles ajudam você a identificar proativamente pontos fracos de segurança, vulnerabilidades e configurações incorretas e priorizá-los e protegê-los antes que os invasores os encontrem. Eles oferecem visibilidade 24 horas por dia, 7 dias por semana, sobre sua postura de segurança e ajudam você a continuar fortalecendo-a.

5 - Não se esqueça dos riscos de terceiros

Serviços inseguros de terceiros estão entre as cinco principais ameaças ao setor de financeiro. Portanto, sua estratégia e processos de segurança devem incluir o gerenciamento de riscos de terceiros.

Verifique cuidadosamente os parceiros/fornecedores/prestadores de serviços antes de integrar os serviços;

- Continue monitorando sua rede em busca de ameaças que permeiam suas redes e dispositivos;
- Aperte os controles de acesso;
- Continue auditando sua postura de segurança e conformidade regulatória periodicamente.

6 - Crie uma cultura de segurança cibernética dentro da organização

Isso ajudará a garantir que todos entendam a segurança e não a considerem uma prerrogativa de TI. Quando a alta administração vê a segurança como uma prioridade, eles estarão mais dispostos a investir os recursos certos. Em segundo lugar, ajuda a garantir a adesão de todas as partes interessadas. Portanto, há um maior alinhamento com a cultura de segurança.

7 - Elabore planos robustos de resposta a incidentes

Apesar de todos os esforços, as defesas de segurança de sua organização de serviços financeiros serão testadas em algum momento. Nesse caso, ter planos robustos de resposta a incidentes ajudará você a minimizar o impacto do ataque e a se recuperar rapidamente.

As ameaças de segurança cibernética ao setor financeiro são prejudiciais, mas evitáveis ​​com uma abordagem proativa baseada em risco e medidas de segurança robustas.

.


Fonte: Carlos Rodrigues - vice-presidente da Varonis Latam

Comentários