Contribuição da economia circular para um mundo mais sustentável

                         
                     


Segundo a Confederação Nacional da Indústria - CNI, a economia circular é um conceito que relaciona o desenvolvimento econômico ao um melhor uso dos recursos naturais. Por meio de novos modelos de negócios, é possível otimizar processos de fabricação com menor dependência de matéria-prima virgem. Deste modo, prioriza-se os insumos mais duráveis, recicláveis e renováveis. 

 A falta de comprometimento com as questões de sustentabilidade afeta diretamente o meio ambiente. O estudo desenvolvido pela fundação Ellen MacArthur ressalta a perda de 90% da biodiversidade devido a retirada e processamento de recursos naturais. 

Em contrapartida, se fossem aplicadas estratégias de economia circular nas cadeias produtivas de materiais como cimento, plástico, aço, alumínio, seria esperado a redução de 9,3 bilhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera.

Todavia, a economia circular colabora com a sociedade como um todo, contribuindo no enfrentamento das mudanças climáticas, no combate contra o aquecimento global ou na perda da biodiversidade. Vale ressaltar que esse processo tem um forte potencial econômico com a geração de novos empregos, investimentos e negócios.

Portanto, essa mudança de mentalidade e comportamento são fundamentais para o crescimento empresarial sustentável. As empresas que ainda não estão dando a devida atenção ao tema ficarão ultrapassadas. Apesar do mercado viver em constante movimento, essa tendência tem cada vez mais se firmado e ganhado força.

O caminho para avançar na economia circular não pode ser percorrido sozinho, é um trabalho colaborativo. Logo, estruturar esses ecossistemas com a busca de conhecimento, diálogos amplos e parcerias, é fundamental.

Os famosos 5 R’s da sustentabilidade (repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar) já fazem parte da mentalidade do consumidor moderno e as empresas que desenvolverem rapidamente a economia circular terão uma forte vantagem competitiva!



Fonte: Sergio de Carvalho Mauricio — Presidente Executivo da ABREE — Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos

Comentários