Conheça as belezas de Nísia Floresta, no litoral sul potiguar



A terra das águas, da diversão, da cultura, da aventura, da fé e da gastronomia. Conhecida antigamente como Papary, o atual nome é uma homenagem a uma de suas ilustres moradoras, a escritora homônima, Nísia Floresta, uma das primeiras mulheres a ter artigos publicados em jornais no Brasil e pioneira do feminismo no país.

Repleta de história e prédios remanescentes da época das invasões francesa e holandesa no estado, Nísia Floresta também oferece passeios e visitas a diversos patrimônios culturais. No centro da cidade, estão localizados:

- O Baobá, uma gigantesca árvore de origem africana, rara no Brasil até os anos 80, cujo tronco tem mais de 10 metros de diâmetro;


- O Museu Nísia Floresta, espaço dedicado ao arquivo e memória da vida e obra da escritora, educadora e feminista Nísia Floresta Brasileira Augusta;

- A Estação Ferroviária de Papary, construída por ingleses no estilo neoclássico, com arcos em estilo gótico, e tombada pelo Patrimônio Histórico.

Nísia Floresta também é um percurso de fé e cultura:

- A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Ó, teve sua construção iniciada em 1703, quando o povoado de Papary ganha suas primeiras ruas;

- A Casa de Pedra, datada de 1570, foi construída pelos franceses para guardar madeira e outros produtos retirados da costa de Nísia Floresta, e também serviu de morada para São João Lostau Navarro, um dos Santos Mártires do Brasil.

- Na Comunidade de Timbó, em 1962, nasce a Campanha da Fraternidade, coordenada pelas Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado. Dois anos depois, em 1964, a CNBB expande para todo o país.

Com localização privilegiada no Polo Costa das Dunas, a 40 km da capital do Estado, o município também é repleto de belezas naturais.

Conhecida como “Terra das Águas", Nísia Floresta possui mais de 20 lagoas, onde é possível desfrutar de revigorantes banhos em águas calmas e límpidas, se divertir em passeios de pedalinhos e caiaque, ou ainda desfrutar da tranquilidade ao deitar em uma rede dentro d’água.


Praias belas e com piscinas de águas cristalinas não faltam por aqui. A Praia de Barreta, procurada por pescadores, tem suas águas represadas pela barreira de recifes. Camurupim tem águas calmas, e em alguns trechos os recifes formam pequenas cachoeiras quando a maré começa a subir. Barra de Tabatinga é cercada por falésias de onde é possível avistar golfinhos. Búzios e Pirangi do Sul são a porta de entrada para quem vem da capital potiguar.

Diversas nascentes e importantes rios como Pirangi, Trairi, Pium e Pirrichiu brotam em meio a Mata Atlântica e dunas.

Detentora do título de “Terra do Camarão” por sediar um dos maiores polos produtores do crustáceo no Brasil, Nísia Floresta é reconhecida por sua gastronomia. Bares, quiosques e restaurantes oferecem diversas combinações de pratos e petiscos preparados com essa iguaria e outros frutos do mar.

O trabalho manual artesanal, passado de geração em geração, encanta turistas do mundo todo. As peças produzidas na região pelos artesãos locais são exibidas em eventos nacionais e exportadas para diversos países.


A Cachaça Papary segue a receita da verdadeira cachaça artesanal de alambique. Produzida na Fazenda Brasileira Augusta, que foi pioneira na arte de envelhecer cachaça em barris de carvalho nas terras potiguares. A Papary envelhecida foi premiada pelo Concurso Mundial de Bruxelas com o selo OURO em sua edição 2018.

Em Nísia Floresta encontram-se diversos atrativos turísticos, desde os que procuram a tranquilidade, quanto os que preferem aventura e agitação.

Fonte: Cláudio Lacerda Oliva

Comentários