As habilidades e os desafios da liderança do futuro


Não há mais dúvidas de que o mundo do trabalho entrou em uma nova era, com suas recentes e diversas transformações e readequações. Está cada vez mais claro que vivemos em um ambiente complexo, incerto e bastante desafiador tanto para lideranças quanto para os liderados. Este novo, e imprevisível, cenário também traz uma série de questionamentos sobre quais serão as principais características, habilidades e desafios que os líderes precisam ter a partir de agora e para um futuro não muito distante.

Ao falarmos de um novo mundo do trabalho, automaticamente falamos da necessidade de rever o papel e as competências daqueles que estão e vão estar à frente – e ao lado – das pessoas durante este processo de transformação. Neste momento, ter o apoio de líderes que assegurem a saúde e o bem-estar de seus times é essencial para formar equipes e negócios mais fortes.

Analisando este cenário, é possível identificar e trabalhar com quatro pilares essenciais que as lideranças devem ter em mente para serem capazes de inspirar e formar profissionais que estejam adaptados às imprevisibilidades que vivemos: a sabedoria, a ética, a inteligência emocional e a coragem.

Quando falo sobre sabedoria, me refiro à habilidade de aprender com as experiências e com os erros. É preciso trabalhar em si a flexibilidade de permitir o erro e poder aprender com ele e estimular isso nas equipes. Só é possível adquirir sabedoria dessa forma.

Estamos passando por várias transformações no mundo e, com isso, várias questões éticas têm sido trazidas à pauta. Por isso, é preciso que o líder do futuro tenha o senso forte de justiça e a habilidade de sempre desenvolver um olhar apurado para o assunto, principalmente sobre como lidar com o diverso, o diferente e, claro, com a ascensão das tecnologias e as habilidades humanas.

Ele também precisa trabalhar fortemente a Inteligência Emocional - capacidade de lidar com fatores que fazem parte do comportamento humano, não só dele próprio, mas como um catalisador da equipe para exercitar essa mesma inteligência emocional em todos.

E, apesar de ter listado por último, o pilar da coragem não é menos importante que os demais, pois nos mostra que, para aprender, é preciso ter a coragem de arriscar. Não ter receio do erro, nem da fragilidade que é própria do ser humano, seja ele líder ou liderado.

- Humanos x heróis:

Devemos ter em mente que a liderança do futuro é menos mecânica e mais humana, combinada com a mentalidade digital e a coragem de assumir riscos em um contexto complexo. Em um artigo, Tomas Chamorro-Premuzic, cientista-chefe de talentos do ManpowerGroup, em parceria com Amy C. Edmondson, Professora de Liderança da Novartis na Harvard Business School, fala sobre o poder que a vulnerabilidade tem de transformar a liderança, fortalecer relações e gerar resultados positivos para pessoas e negócios.

Mostrar-se aberto, dizer a verdade, pedir ajuda, se desculpar por um erro e mostrar que a equipe também contribui para o aperfeiçoamento do líder – além de desenvolver novas habilidades sempre – são algumas das características que formam a liderança vulnerável. E isso não é negativo – pelo contrário, é importante lembrar que, embora essencial, quem ocupa essa posição não é – e nem deve ser – um herói, uma pessoa inabalável e perfeita.

A pandemia nos mostrou que, diante de um cenário inconstante, líderes precisam se adaptar rapidamente e isso requer que estejam cientes de suas fragilidades e tenham coragem e humildade para falar com sinceridade sobre suas dificuldades, o que faz criar conexões com seus times, aprendendo com os demais e, dessa forma, construindo ambientes inclusivos e seguros para todos.

As lideranças devem enxergar o seu papel em uma organização como o de uma pessoa lidando com outras e guiando-as para um objetivo comum. E, para poder desenvolver, transformar e fazer a diferença com todos esses elementos, é necessário que o líder do futuro busque ativamente apoio e suporte para a construção desse ecossistema.


Fonte: Wilma Dal Col - diretora do ManpowerGroup

Comentários