Japão tem infraestrutura e atrações para que visitantes desfrutem o que há de melhor no país



O Japão é um destino muito rico em atrações turísticas. Sua história, tradição e modernidade atraem visitantes do mundo todo. Hoje, graças aos esforços conjuntos do governo, autoridades locais e organizações sem fins lucrativos e aos investimentos em infraestrutura, o país se destaca como um destino que proporciona acessibilidade para todos.

A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) se une aos esforços e contribui com a divulgação de informações e o posicionamento do país como destino turístico seguro e preparado para receber turistas com deficiência, idosos e famílias com crianças pequenas.

A trajetória para esta realização teve início em 2006, quando a Nova Lei Livre de Barreiras (New Barrier-Free Law) foi promulgada com o objetivo de tornar edifícios, transportes e o ambiente em geral mais acessíveis para idosos e pessoas com deficiência. 

Em 2016, um plano de ação, o Plano de Ação do Design Universal 2020 (Universal Design 2020 Action Plan) foi aprovado e colocado em prática para tornar o Japão mais inclusivo e um lugar melhor para viver e visitar para que todos sejam bem-vindos ao Japão.



- Informação e serviço:

Entre as medidas, está a democratização do acesso à informação. Hoje, os principais destinos japoneses estão desenvolvendo sites em inglês, com informações gerais sobre acessibilidade, além de dicas sobre acomodação, atrações, restaurantes e etc. Além disso, há a melhoria nos serviços dos pontos turísticos, com placas em braile, aluguel de cadeiras de rodas e equipes treinadas para atender a todos.

Pelo país, há também banheiros especiais para atender pessoas com deficiência, pessoas com dificuldade de locomoção, mulheres grávidas, pessoas com bebês e idosos. Os banheiros polivalentes, como são chamados, possuem sanitários e lavabos acessíveis, corrimão, bancada para troca de roupas e fraldas, banheiro especial para estomizados, entre outros.

- Locomoção:

A acessibilidade no transporte público no Japão também é uma realidade. A maioria das estações de trem no Japão não têm barreiras, possuem elevadores, escadas rolantes e equipe preparada para auxiliar. Os visitantes portadores de deficiências, que optam pela rede ferroviária, como a JR Rail Pass, adquirindo o passe conseguem viajar com tranquilidade e segurança, tanto na classe A quanto na B. 

O JR Rail Pass é um passe de trem disponível aos turistas estrangeiros, vendido pelo Japan Railways Group fora do Japão, que é válido para viagens em todas as principais formas de transporte fornecidas pelo JR Group. Além disso, os ônibus também possuem equipamentos para garantir o acesso ao transporte.

A quantidade de táxis adaptados também tem aumentado no país. Apenas nas ruas de Tóquio, atualmente mais de 10% da frota são JPN Taxis, vans com portas automáticas, rampas e assentos móveis. Além disso, as ruas também estão preparadas para aqueles que gostam de explorar e preferem se locomover sem transporte público. As calçadas são lisas, possuem piso tátil e os semáforos têm alerta sonoro para travessia.

- Hospedagem:

Em relação à hospedagem, por determinação de lei, a partir de setembro de 2019, os novos hotéis com mais de 50 quartos devem ter infraestrutura para acomodar com conforto e segurança cadeirantes, com quartos adaptados, rampas e elevadores. Porém, além de grandes estabelecimentos, há hotéis menores e pousadas ryokan que também estão preparados para receber a todos. Alguns locais, inclusive, oferecem assistência para banho.

Para quem pretende relaxar em uma fonte termal, muitos hotéis que oferecem esta atividade têm banheiros com corrimãos e piso antiderrapante. Famílias e casais também podem reservar quartos com banheiros privativos ao ar livre ou alugar os banheiros do hotel por um dia.

- Destinos acessíveis:

São muitos os destinos e atrações acessíveis. Vários museus e galerias no Japão são livres de barreiras, têm banheiros para cadeirantes e sites multilíngues que fornecem informações detalhadas sobre acessibilidade. Locais como esses, que são administrados pelo governo, oferecem entrada gratuita para pessoas com deficiência e um acompanhante.

Os santuários e os templos possuem muitas escadas, mas uma grande quantidade já têm passagens e rampas para cadeirantes. Os parques de diversões também oferecem muitos serviços convenientes para famílias com crianças pequenas, bem como para pessoas com deficiência.

- Destinos que valem a pena serem explorados:

Tóquio:

Uma das principais portas de entrada do Japão, a capital se destaca no quesito acessibilidade. A cidade oferece 30 opções de rotas acessíveis que conectam pontos turísticos. 

É possível conhecer a Baía de Tóquio, o distrito de Asakusa e o Templo Sensoji, a Tokyo Tower, o Santuário Atago-jinja, o Museu de Ciência, a Tokyo Skytree, o bairro Akihabara onde a cultura pop japonesa e lojas de eletrônicos se concentram, parques e jardins japoneses, entre outras muitas atrações. 

- Hiroshima:

A capital da província de mesmo nome é muito conhecida por sua história na Segunda Guerra Mundial, e por ter sido alvo de uma bomba nuclear. Hoje, a cidade reconstruída e seu entorno oferecem muitos atrativos acessíveis a todos, como o Memorial da Paz de Hiroshima e Miyajima, uma ilha localizada a uma hora da capital que é patrimônio mundial da UNESCO e famosa pelo portão Torii gigante do Santuário Itsukushima, que parece flutuar na água na maré alta. As atrações possuem estrutura adequada para receber turistas com deficiência.



- Okinawa:

Conhecida como o Caribe do Japão, o arquipélago com clima subtropical possui diversas atividades e praias paradisíacas que recebem bem os turistas com deficiência com fácil acesso, rampas e instalações adequadas para todos. Como destaque estão as praias de Sukuchi (na Ilha de Ishigashi) e Bibi (na ilha de Itoman). Além disso, os resorts também estão preparados para receber a todos. 



Fonte: Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO)

Comentários