quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Filhos: ter ou não ter? Eis a questão!

Livro desmistifica rótulo de que todo ser humano deve crescer e se multiplicar, sem ao menos entender os motivos que determinam sua escolha

Quantas vezes você já ouviu ou sentiu a máxima: “crianças deveriam vir com manuais de instruções”? Você, pai ou mãe, já se pegou tendo esse pensamento e ficou sem saber onde pedir ajuda? O que é normal? O que é aceitável? O que é correto? O que é educar com amor e apego? O que é ser permissivo?

Filhos: ter ou não ter? Eis a questão!, escrito por Renato Caminha é um guia completo, que propõe questionamentos sobre as verdadeiras razões entre ter ou não ter filhos. O autor desmistifica a trajetória de que todo ser humano deve crescer e se multiplicar, sem ao menos entender os motivos que determinam sua escolha.

Questionamentos como: por que meu filho comia de tudo e de um dia para o outro não quer mais? Por que ele se joga no chão? Por que ele bate? Por que o medo começou a ser pauta das conversas e por que antes dormia a noite toda e agora acorda? 

Na obra, Renato Caminha explora com humor e de forma muito didática esses questionamentos e conceitos complexos da biologia do comportamento, das neurociências e do evolucionismo que dão sentido aos porquês que todos os pais cotidianamente se fazem.

“Enquanto seres humanos, usamos as emoções para nos comunicar e que até os seis anos é por meio desses esquemas emocionais que construímos nossa visão de mundo”, explica Renato Caminha. 

Segundo o escritor, a obra buscar trazer entendimento que as emoções são fisiológicas e, portanto, “senti-las não é escolha. Além disso, empatia é algo que se ensina e que a base para uma sociedade saudável está na relação validante e empática com nossos filhos”.

Raiva, frustrações e medos são apontadas de uma forma muito acolhedora e sem conjecturas no livro, assim como traz à tona a reflexão da parentalidade a partir do ponto de vista científico e evolucionista, proporcionando clareza e desconstruindo preconceitos tóxicos da sociedade. 

“É uma jornada linda, inquietante e necessária. Realmente uma obra que todo pai e mãe deveria se permitir experimentar, para ser lida e relida”, afirma o escritor.

De modo pragmático, Caminha coloca a mão no coração e nas responsabilidades que surgem com a decisão de trazer um novo membro para a família, seja ele gerado no ventre ou não. 

O escritor também aponta caminhos aos que optam pela maternidade ou paternidade, para que a jornada seja mais suave e acompanhada de uma verdadeira ferramenta de prevenção. 

A obra oferece apoio ao leitor, para que entenda por si próprio se é realmente o seu desejo ter filhos ou se está apenas seguindo um modelo socialmente esperado.

Fonte: Renato M. Caminha – Psicólogo, mestre em Psicologia Social e da Personalidade pela PUC-RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário