quarta-feira, 1 de julho de 2020

Quais as normas ISO mais indicadas para enfrentar a pandemia?


Contratos vencendo, ligações com fornecedores, clientes reduzindo o ritmo de compras. As preocupações dos empresários são infinitas em tempos de crise. Além de lidar com todos os problemas que não têm hora para aparecer, ainda se espera que eles tenham tempo para planejar e repensar seus negócios. 

Fica aquele dilema: por mais difícil que seja tirar alguns dias para avaliar o mercado e sua própria empresa, se não o fizer, estará cada vez menos preparado para lidar com instabilidades e incertezas, como as provocadas pela pandemia de Covid-19.

A ISO, uma antiga conhecida das empresas brasileiras, ressurge como um forte aliado a esse processo de reestruturação. Criada após a Segunda Guerra Mundial, a organização de normas e padrões sabe como ninguém apontar o caminho para superar uma crise. Hoje, são mais de 23 mil normas. Cerca de 50 delas compõem o chamado Sistema de Gestão, específico para negócios.

A pandemia também exigiu que as consultorias se reinventassem. Assim como diversas empresas, aquelas que não estiverem preparadas para esse novo normal tendem a cair no limbo. A Palas já vem há anos apostando em tecnologias da Indústria 4.0 e na transformação digital. Com auditorias remotas, nós conseguimos garantir o processo de implementação das normas seguindo tudo que está em conformidade com os padrões da ISO. 

Normas de diretrizes, que não necessitam da validação do Inmetro, como a de 31.000 (Gestão de Riscos) e a 56.002 (Gestão da Inovação), têm resultados extremamente positivos para o momento e são implementadas com maior flexibilidade e agilidade, assim como o mercado precisa.

As empresas devem pensar nas normas ISO como uma engrenagem, cada uma com sua função. Quanto mais engrenagens você tem, mais robusto o seu equipamento e melhor o rendimento. Por isso, selecionei aquelas que considero essenciais para lidar com a pandemia.

- Sistema de Gestão de Riscos (31.001): O essencial neste momento é saber onde está pisando. Como meus concorrentes estão se comportando? É hora de fazer investimentos? Como posso agir para que meu negócio esteja menos arriscado? Todas essas perguntas são cruciais para a sobrevivência de uma empresa nos próximos meses.

- Saúde e Segurança Ocupacional (45.001): Além de pensar em como oferecer produtos de maior qualidade para os seus clientes, é preciso oferecer um ambiente de trabalho seguro para seus colaboradores. Desde que a Covid-19 foi considerada uma doença ocupacional, aumentou o risco de processos trabalhistas para as empresas.

- Qualidade (ISO 9.001): Essa talvez seja a norma mais conhecida pelas empresas no Brasil. O que elas devem apostar neste momento, e que a norma possibilita, é estabelecer um canal de comunicação com o cliente para entender suas expectativas e necessidades. Imagine que um cliente quer um carro com motor de alto rendimento, muito econômico. Não adianta eu querer vender uma Ferrari. Por mais que ela seja o melhor carro do mundo, não vai atender às necessidades do consumidor.

- Inovação (56.002): Em um cenário de pandemia, em que as necessidades e comportamentos dos clientes mudaram, essa norma ajuda a criar novas oportunidades de mercado, seja adaptando os seus produtos e serviços ou criando estratégias completamente do zero.

- Ambiental (14.001) e Energias (50001): Com recursos cada vez mais escassos, é essencial que as empresas evitem o desperdício. Como resultado, é possível esperar redução de cursos e maior ganho em sustentabilidade.

Por fim, deixo como dica uma seleção de normas que foram disponibilizadas gratuitamente pela ISO em formato para leitura e que podem ajudar as empresas a enfrentar a pandemia de Covid-19.


Fonte: Alexandre Pierro - sócio-fundador da PALAS e um dos únicos brasileiros a participar ativamente da formatação da ISO 56.002, de gestão da inovação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário