quarta-feira, 22 de julho de 2020

E se aprender for a melhor opção?



Há muito a realizar. Inovar é aprender. Nunca estivemos tão conectados com o mundo como agora. Mais maduros, sabemos que não é o cargo e sim o conhecimento aplicável que faz um campeão. Crie o seu próprio planejamento estratégico pessoal em 5 passos, como relata brilhantemente Aloísio do Pinho Oliveira, executivo financeiro sênior, em posições de direção-geral e diretoria financeira em multinacionais de diversos ramos de atuação.

Ler esta indicação, que se encontra no LinkedIn, será de grande valia. Por meio de minha longa experiência como headhunter e especialista no desenvolvimento de pessoas através do autoconhecimento, acredito que posso contribuir de forma significativa para o alcance de grandes conquistas.

- Vamos lá! Prepare-se!

Ligue os pontos e veja que a inteligência ligada a postura de aprendiz, reflete um imenso poder de realização e de autonomia. Dessa forma, torna-se possível saciar a curiosidade e conquistar o desenvolvimento pessoal. Ainda descobrirá, que você pode ser a sua própria escola de negócios, construtor do seu MBA e de aprendizagens contínuas e autodirigidas.

São muitas as plataformas de aprendizagem: Uncollege, Udemy, Coursera, Singularity University, MOOCs. Estas e muitas outras estão disponíveis para você. Elas fazem parte do nosso cotidiano, refletem a necessidade do eterno aprendiz neste imenso mundo novo e também o prepara para o que der e vier.

O aprendizado self service supera os modelos tradicionais de educação por garantir uma maior velocidade nas transformações que imperam em meio às mudanças globais e a atual epidemia. Esta que exige o empenho de muitos cérebros trabalhando a todo vapor em prol da humanidade. Os muitos experimentos trazem a minha mente, Dom Quixote e a sua luta contra os moinhos de vento. Sem dúvida, a ciência em seus experimentos e jornada junto aos "moinhos de vento" irá acertar.

Os aprendizes e eternos alunos protagonistas propõem novos caminhos e soluções. Criam plataformas, grupos e experiências disruptivas para o compartilhamento do conhecimento.

Sim, é possível aprender e criar conhecimento contando com diferentes recursos. O cérebro é um músculo em desenvolvimento, com inesgotáveis sinapses velozes e brilhantes. O cérebro gosta do êxito e acerto de novas diretrizes. Entretanto, o autoconhecimento e a gestão das emoções são imprescindíveis e determinantes para o alcance verdadeiro do êxito.

Iremos do luto provocado pelas quase incontáveis perdas de vidas ao "orgulho íntimo" do descobrimento de embriões. Estes que hoje ainda se encontram em esboços e rascunhos, mas que serão definitivos para a formulação de remédios e vacinas. A cura na luta contra o novo coronavírus. Com certeza, é possível que complexas pesquisas encontrem o inesperado. Quem sabe a vacina contra o vírus HIV.

Neste contexto, se faz presente a expressão "Lifelong learning", que significa manter uma atitude positiva para a aprendizagem, tanto no contexto profissional quanto no pessoal.

O termo se refere ao ato de se tornar um eterno aprendiz, que compreende as constantes mudanças do mundo e percebe que quanto mais se sabe, mais há o que aprender.

Somos seres aprendizes pela nossa história e humanidade. O aprendizado é um divisor de águas e não possui fronteiras.

O "Lifelong learner" possui uma curiosidade insaciável, um desejo enorme pelo saber. Ele busca o conhecimento constantemente, como se fosse viver infinitamente. O seu interesse não se resume somente no saber, mas também no experimentar, já que esta é uma das melhores maneiras para se alcançar algo que vá além das soluções e seja semente para o futuro.



Fonte: Efigênia Vieira - headhunter e CEO da Upside Group

Nenhum comentário:

Postar um comentário