quarta-feira, 3 de junho de 2020

Escritório de Turismo da Espanha fala sobre a retomada do turismo

De acordo com o executivo, Oscar Almendros, Diretor do Escritório de Turismo da Embaixada da Espanha no Brasil, o governo espanhol anunciou a reabertura para 1º de julho e, para isso, iniciou em 28 de abril um plano para a nova normalidade, que prevê a transição das províncias para diferentes níveis conforme o cumprimento das medidas estabelecidas. 


O plano, porém, será assimétrico, já que alguns locais, como algumas das Ilhas Canárias e Baleares, por exemplo, o iniciaram mais cedo. Já as cidades que provavelmente reabrirão por último são as mais afetadas pela pandemia, como Valencia, Madri e Barcelona, que só devem passar por todas as fases no final de junho.

Na fase 1 foram abertas praias e na 2 restaurantes e bares, mas tudo com regras de distanciamento. Barcelona é um dos destinos que têm feito um bom trabalho. A avenida Passeig de Gràcia, por exemplo, poderia ser fechada para carros para as pessoas poderem caminhar com segurança.

“O governo acha muito importante a reabertura do turismo porque é um motor econômico significativo, e eu acredito que tudo ficará pronto até 1º de julho, sim. O governo quer isso e está totalmente focado no combate a um novo surto, em colaboração com a União Europeia”, explica Almendros.

Até por isso os primeiros turistas a chegar provavelmente serão os do Espaço Schengen, a não ser que o cenário mundial seja ótimo e permita que não haja restrições a nenhuma nacionalidade. Porém vale lembrar que para a abertura das fronteiras foram feitas recomendações severas, inclusive critérios epidemiológicos. Tudo será coordenado em conformidade com o nível de óbitos, a contenção ao risco e ao isolamento que cada país registrar.

“Os países da Europa começaram e estão encerrando a pandemia paralelamente. Já o Brasil é uma incerteza. Não chegou ainda ao pico. O Ministério da Saúde da Espanha vai comprovar a contenção em cada país e o controle da doença. Depende de o Brasil ficar pronto para poderem retomar os voos, pois é necessário barrar a importação do contágio.”, conclui ele. Ou seja, impossível saber se os brasileiros poderão viajar já em julho. Almendros espera que sim.

Por enquanto a obrigatoriedade de quarentena de 14 dias após a chegada está em discussão, pois o setor turístico depende dos visitantes, e a princípio a quarentena acaba em 7 de junho, juntamente com a derrubada do estado de alarme, mas análises de risco bilaterais continuarão sendo feitas.

Para Almendros, o melhor é que haja um controle na origem. “Madri falou com a OMT (Organização Mundial do Turismo) para implantar um passaporte de saúde em colaboração com companhias aéreas, com testes e medição de temperatura, para autorizar ou não a viagem. Seria uma alternativa”, diz ele.


Fonte: Oscar Almendros - Diretor do Escritório de Turismo da Embaixada da Espanha no Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário