segunda-feira, 18 de maio de 2020

Equipe talentosa é agora mais importante do que nunca


Os períodos de recessão, como o atual da pandemia do coronavírus, costumam ser marcados, entre outras coisas, por uma "queima de capital excedente" e por fusões e aquisições de empresas. É na recessão que as empresas procuram se reorganizar, para tentarem "sair à frente", quando se inicia um novo ciclo de crescimento econômico. É mais do que oportuna, portanto, a necessidade das empresas de avaliação da sua estrutura organizacional e da sua liderança. 

E ainda tratando de eficiência organizacional, é preciso contar com empresas altamente especializadas em soluções de capital humano para avaliação da estrutura organizacional e assessment da liderança. Isso irá trazer uma sólida contribuição para se detectarem e minimizarem custos ocultos, derivados de disfunções organizacionais e contar com organizações ágeis e equipes de alto desempenho.

O enxugamento do quadro de colaboradores deve ser analisado com cautela. As demissões devem ser feitas apenas quando os demais custos fixos tenham sido reduzidos ao máximo e cortes pontuais vão ajudar o caixa da empresa.

O mais indicado é olhar para todas as áreas, enxergar quais colaboradores estão supervalorizados e menos produtivos e promover substituições que vão oxigenar e trazer novas ideias para a empresa. Nesse momento, é possível realizar contratações pontuais, atrair líderes talentosos e reforçar o time com perfis e habilidades diferentes.

Embora todos possamos estar enfrentando desafios semelhantes nesta nova corrida para vencer, as empresas que permanecerão serão aquelas com CEOs e líderes que veem seu talento como seu recurso estratégico mais precioso. Essa é a diferença - agora são os CEOs e as equipes executivas seniores que entendem que o que fará uma organização se transformar de um simples criador de valor em um divisor de águas é a capacidade de atrair e reter não apenas o melhor talento que eles podem adquirir, mas o talento certo que os impulsionará para o futuro.

Os CEOs e suas principais equipes executivas estão concentrando-se em algumas prioridades estratégicas críticas: inovação do modelo de negócios; a busca de estratégias inteligentes e sustentáveis ​​de crescimento rentável; a transformação digital de seus principais processos de negócios; e a racionalização de suas estruturas de custos, geralmente em ambientes pós-fusões e aquisições. Nenhum desses desafios pode ser enfrentado sem que o talento certo seja aplicado para enfrentá-los de forma criativa. 

Uma empresa de serviços financeiros não se torna um inovador tecnológico sem ter o talento com a combinação certa de perspicácia tecnológica, visão estratégica e orientação ao cliente. Uma empresa de produtos de consumo não pode penetrar em um mercado emergente importante, mas não familiar, sem líderes que tenham a perspectiva de entender que as preferências do cliente variam de maneiras pequenas, mas importantes, em todo o mundo. Uma rede de varejo não pode fortalecer seus canais de vendas digitais, sem líderes que ajudem a fortalecer processos de transformação digital e adoção de práticas da indústria 4.0 e impulsionar a mudança.

Uma consultoria de contratação de executivos bem capacitada desempenha um papel ainda maior nesse mercado de trabalho incerto e desafiador. Com sua perspectiva única, do lado do candidato e do cliente, sabe exatamente o que as empresas estão procurando, onde estão os talentos certos e o que é necessário para atrair líderes de alta performance. 

Esse conhecimento é fundamental para qualquer clima econômico e especialmente quando as empresas precisam contar com equipes enxutas. Deve oferecer aos seus clientes os candidatos executivos de melhores desempenhos - os 20% que são tão eficazes que são responsáveis por 80% dos resultados.



Fonte: Daniela Mindlin Tessler -sócia da Odgers Berndtson Brasil, formada em psicologia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC / SP), pós-graduada em recursos humanos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV / SP) e MBA em Gestão de Negócios pela Fundação Instituto de Empresa (FIA / SP). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário