terça-feira, 7 de abril de 2020

O que é governança corporativa?



A Governança Corporativa é um mecanismo, utilizado para dirigir e monitorar a gestão corporativa, sob a ótica de seus proprietários, visando aumentar o valor da sociedade, facilitar seu acesso ao capital e contribuir para sua perenidade. Sendo obrigatória para as empresas Listadas (com ações da Bolsa de Valores) e uma excelente opção de gestão para empresas familiares e nacionais de famílias empresárias, pois demonstra profissionalismo e transparência na gestão, aproximando as organizações de seus stakeholders. 

Segundo Ricardo Camargo, consultor e especialista em empresa familiar, da Camargo Gestão, a adoção de princípios de transparência, equidade, e prestação de contas nas organizações familiares gera melhor relacionamento entre herdeiros, fundadores e sócios, acionistas ou cotistas, reduzindo possíveis conflitos internos e tornando a empresa mais propensa a oportunidades

- Forme um conselho consultivo ou deliberativo:

O Conselho além de verificar periodicamente a performance da organização, facilita o compartilhamento de experiências e de sugestões para a gestão da sua empresa, reunindo profissionais com maior bagagem e perfis distintos, que já passaram por desafios semelhantes aos seus. 

“Conversando periodicamente com a direção da empresa, que deve compartilhar suas maiores dificuldades de crescimento na mesa, o Conselho pode orientá-los nas tomadas de decisão. Ele é geralmente composto por 3 a 5 profissionais de sua confiança, altamente capazes e dispostos a ajudá-los pelo menos algumas vezes ao ano (essa frequência é definida pela governança), com os temas mais diversos, voltados ao aumento de eficiência, inovação e relevância no mercado. Ele é diferente de um Conselho Administração, que também é importante, mas não confunda os dois! O Conselho de Administração é previsto em Lei e é ele que gere a empresa estrategicamente, geralmente são criados quando a Governança está bem ‘madura’, enquanto o Conselho Consultivo ou Deliberativo pode te ajudar desde o comecinho”, explica o Ricardo Camargo.

O consultor diz que existem três práticas de governança corporativa que não podem faltar nas empresas: estabelecer hierarquia, realizar reuniões e registrar tudo.

As áreas da empesa devem saber claramente o seu papel dentro da organização. Exercendo suas atividades como uma orquestra, sem que haja atropelamento de funções e retrabalho. Esta hierarquia transcende os departamentos, fazendo com que todos estejam focados em um mesmo objetivo estratégico.

Outra medida importante para estimular a governança corporativa em sua empresa é a realização de reuniões periódicas entre a direção executiva e o Conselho, quando você vir a formar um. 

“Em todas essas reuniões periódicas, devem ser acompanhados projetos, passadas novas diretrizes da empresa e feito planos de ação referentes a metas e indicadores. Essa é uma forma de manter um controle administrativo mais eficiente da empresa e acompanhar seu progresso”, afirma Camargo.

Além disso, é importante também que uma empresa mantenha o registro dessas reuniões organizados e arquivados em atas. Segundo o consultor, quando entra um investidor na sua empresa, ele vai querer avaliá-la desde o início. Por isso, esses documentos, junto com balanços financeiros, projeções e outros registros, são fundamentais para prestar contas a sócios (atuais ou futuros) e servem para fundamentar decisões em Conselhos. 

“Vale ainda disponibilizá-los sempre que necessário e com um acordo de confidencialidade, para manter a transparência da empresa e para possibilitar ações futuras de aporte de capital, ou obtenção de crédito”, finaliza.



Fonte: Ricardo Penteado Camargo – consultor, especialista em empresas familiares, marketing estratégico pela FGV e estratégia de negócios pela SUNY – State Universityof New York – da Camargo Gestão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário