sexta-feira, 13 de março de 2020

Conceito de economia circular afeta as empresas, produtos e serviços de diferentes maneiras



Com taxas muito baixas de reciclagem, o mundo vive um colapso quanto ao descarte de resíduos. A gestão de resíduos é um problema mundial. O governo e as indústrias necessitam perceber como é benéfico investir em projetos sustentáveis que garantam a credibilidade de suas ações.

Contribuindo para viabilizar essa mudança de comportamento tão urgente e fundamental para a sustentabilidade, os consumidores estão dando preferência para aquelas empresas que possuam um posicionamento ativo e comprometido no que diz respeito a iniciativas de baixo impacto ambiental.

Grande parte das atividades humanas modernas utilizam produtos descartáveis feitos de material plástico. Anualmente, são geradas cerca de 300 milhões de toneladas de lixo plástico no mundo, sendo 14% desse resíduo encaminhado para reciclagem e apenas 9% efetivamente reciclado.

O processo de reciclagem precisa ser prioridade. Porém, serão necessárias mudanças significativas no mercado. Está transição, além dos investimentos, envolve toda uma mudança na cadeia industrial que requer tempo para estruturação, até chegar ao tempo necessário para que todas essas questões se desenvolvam com a maturidade exigida pelo mercado.

Um dos principais desafios dos executivos atualmente é como tornar o seu negócio mais sustentável. A transição de uma economia linear para um modelo circular traz alterações significativas nos modelos de negócios e nas atividades de muitas indústrias. O conceito de economia circular afeta as empresas, produtos e serviços de diferentes maneiras. Ela é muito mais do que a gestão de resíduos.

A economia circular atuante tem que considerar o produto, o processo, o uso e o seu sistema de reutilização desde a concepção. O conceito engloba manter os recursos em uso o maior tempo possível, minimizar sua disposição, utilizar de maneira mais eficiente possível e recuperar e regenerar os produtos.Ela deve incentivar as empresas a pensar não só em sua etapa de produção individual, mas, sim, considerar toda a cadeia de valor para o seu desenvolvimento, uso, descarte e reuso de produtos.

Para garantir o meio ambiente mais equilibrado é preciso ter consciência sobre o que é consumido e o impacto gerado. As pessoas estão mais sensíveis a essa questão e, já aceitam até pagar mais caro por produtos sustentáveis.

No momento em que os efeitos negativos do crescimento econômico sobre o meio ambiente se tornam evidentes, os esforços para alcançar a sustentabilidade na dimensão adequada deve incentivar a população para se organizar visando economizar todos os recursos essenciais à vida.

Economizar energia, reciclar, incentivar um sistema de coleta de água da chuva e promover outras ações sustentáveis, já fazem parte do cotidiano de muitas pessoas visando contribuir para o futuro das próximas gerações.


Fonte: Vininha F. Carvalho - jornalista, economista, administradora de empresas e editora da Revista Ecotour News & Negócios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário