terça-feira, 24 de setembro de 2019

Úmbria é a Toscana da vez


A Úmbria é uma região que fica bem no centro da Itália e sem acesso ao mar. Conhecida como o “coração verde” do país, faz divisa com Marche, Lazio e Toscana. Dividida em duas províncias (Perugia e Terni), tem como principais atrativos suas cidades medievais localizadas nas montanhas, florestas densas, culinária local, especialmente os cogumelos tipo trufas e seus vinhos.

Perugia é sua capital e fica localizada no alto de uma colina, onde abriga o Palazzo dei Priori, com a Galleria Nazionale dell`Umbria, que tem em sua coleção muitas relíquias históricas de arte medieval e renascentista. Para quem gosta de longas caminhadas, a cidade é a escolha perfeita. A zona de pedestres é uma ampla área de ruas livres de carros no centro histórico. O corso Vanucci é repleto de lojinhas que fazem a festa dos turistas mais afoitos por compras.

 
- Confira:

Basílica de São Francisco de Assis um dos monumentos artísticos e religiosos mais visitados da Europa, e onde repousam os restos mortais de São Francisco de Assis. A construção é luxuosa e se contrapõe ao símbolo de pobreza associado a sua imagem, afrescos a decoram de cima a baixo, pintados por artistas reconhecidos da época como Giotto.

Nem todo mundo sabe que a cidade de Perugia é considerada a cidade do chocolate. Todos os anos acontece o Eurochocolate, uma grande feira sobre a iguaria. Na cidade está localizada uma das mais famosas fábricas da Itália, a Perugina, que produz o Baci. Sua única unidade mundial, fábrica mais de um milhão de unidades por dia, e é exportado para mais de 100 países em todo o mundo, inclusive o Brasil.


Orvieto: cidade medieval no alto de um monte rochoso, já foi uma das mais importantes durante o período Etrusco (1200 a 700 a.C.) e foi lar do Papa Urbano IV. Seu principal ponto turístico é o Duomo, catedral do século XIV. Decorada com mosaicos que apresentam cenas bíblicas e painéis na porta de bronze com passagens do livro de Gênesis. Um ponto bastante curioso e imperdível é a cidade subterrânea, com mais de 1.200 túneis, galerias, poços, escadas, pedereiras, adegas, cisternas e salas sobrepostas.

Parco delle Grotte é o nome dado ao grande complexo subterrâneo com mais de 1.000 cavernas cavadas desde os tempos dos etruscos até a Idade Média, que por muito tempo permaneceram em segredo. O Pozzo di San Patrizio é possivelmente a atração preferida da Orvieto subterrânea. Um poço histórico, construído pelo arquiteto-engenheiro Antonio da Sangallo, o Jovem entre 1527 e 1537, depois que o Papa Clemente VII se retirou para Orvieto, fugindo de Roma, quando a cidade foi atacada pelas tropas do imperador Carlos V em 1527. O poço serviria para fornecer água para a cidade no caso de um cerco.


A cidade de Ferentillo possui restos de um lindo castelo do século XII e uma muralha que foi construída para a defesa da cidade ainda bem visível no alto, além do surpreendente Museo delle Mummie di Ferentillo (Museu das Múmias)! É um cemitério na cripta sob a igreja de Santo Stefano, que esconde um fenômeno pitoresco. Dentro essas muralhas, no início do século XIX, enquanto se estava prestes a proceder à exumação de restos mortais sepultados na igreja (de acordo com as novas regras do Édito de Saint-Cloud, ordenado por Napoleão), foram encontrados alguns cadáveres em um bom estado de conservação. Vinte e cinco destes estão à mostra no museu.

Para os amantes de vinhos e da culinária, a região é produtora das raras e caras trufas negras, ou Diamantes negros da culinária, como são conhecidas pelos grandes chefs mundiais, além de excelentes vinhos.

Na cidade de Norcia é possível participar da caça as trufas. Os interessados irão acompanhar cães treinados que farejam os torrões de terra até encontrar a iguaria. Depois de colhidas, elas são limpas cuidadosamente, para evitar o toque direto com os dedos, o que a levaria ao apodrecimento. Na cozinha são utilizadas frescas para fazer tempero e cozidas, possuem um sabor intenso e incomparável.


Em relação aos vinhos, vamos citar duas qualidades. O Sagrantino di Montefalco DOCG é o vinho mais conhecido da Úmbria. A videira e a área de produção são descritas diretamente pelo nome do próprio vinho, ou seja, a variedade de uvas Sagrantino na região de Montefalco, produzida na província de Perugia. É um vinho tinto, concentrado e de longa duração. De cor vermelho rubi intenso, às vezes com reflexos de granada, é muito persistente na boca, caracterizado por uma ótima estrutura e taninos reconhecíveis.

O Torgiano Rosso Riserva DOCG foi o primeiro vinho na Úmbria a obter o DOCG e hoje pode ser definido em todos os aspectos um “Superumbriano“, que não tem nada para invejar os grandes vinhos tintos da vizinha Toscana. Produzido principalmente com uvas Sangiovese, é um vinho tinto rubi brilhante, harmonioso, que atinge maior complexidade com o envelhecimento.


Fonte: Interpoint Viagens e Turismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário