segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Conscientizar para transformar é a proposta do Dia Nacional de Adotar um Animal



Conscientizar para transformar, esta é a proposta do Dia Nacional de Adotar um Animal, em seu 19º ano. É preciso estimular o aprendizado sobre o direito dos animais e incentivar mudanças culturais no relacionamento com estes seres tão especiais.

É necessário impactar positivamente as pessoas para que através da conscientização, seja possível amenizar o problema do abandono e promover a transformação social, buscando criar uma nova mentalidade.

Os animais abandonados estão mais suscetíveis a maus tratos, a acidentes e, principalmente, a doenças, que podem ser, inclusive, uma ameaça para outras espécies e para a saúde humana. O Brasil, de acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Pet Brasil possuí hoje 172.083 animais abandonados sob a tutela das ONGs e grupos de Protetores.

Dos mais de 172 mil animais tutelados, 165.200 (96%) são cães e 6.883 (4%) são gatos. Os abrigos de médio porte destacam-se por tutelar mais de 89 mil animais. Portanto, são responsáveis por mais de 52% da população de pets disponíveis para adoção.

De acordo com os dados, 0,0002% da população total de cães, de 54,2 milhões, e de gatos, de 23,9 milhões, evolui efetivamente para a condição de abandono. Segundo esses números, verificamos que 4% dos animais em condição de vulnerabilidade evoluem para o abandono completo.

Realizado desde 2000, comemorado no dia 4 de outubro, a cada ano o Dia Nacional de Adotar um Animal, estimula o desenvolvimento de ações concretas em prol da adoção de animais de maneira responsável e eventos que possibilitam destacar a importância da esterilização.

A participação é feita de maneira voluntária, de forma anônima e gratuita, onde cada pessoa pode oferecer sua contribuição através de atos simples, mas que somados fazem grande diferença na sociedade. Desenvolver o espírito voluntário é sinônimo de amor e respeito.

A pesquisa realizada pela World Giving Index 2018 - Charities Aid Foundation publicou o Índice Global de Solidariedade (World Giving Index, em inglês), no qual mede a solidariedade de 146 países. O Brasil aparece em sétimo lugar em número absolutos (21 milhões de voluntários) e percentualmente na posição 109 (13%) da população envolvida em ações voluntárias. Portanto em ambos os casos percebemos o grande potencial de crescimento que o país tem nesse campo.

O voluntarismo não traz benefícios só para o animal, se envolver em ações humanitárias ajuda no desenvolvimento da vida pessoal e profissional do voluntário. Habilidades como empatia, trabalho em equipe, capacidade de resolução de problemas, liderança, raciocínio lógico, proatividade e muitas outras são fortalecidos com essa experiência. .

Como idealizadora desta campanha educativa intitulada Dia Nacional de Adotar um Animal ressalto que a colaboração entre os participantes da desde o planejamento de uma atividade até o processamento do aprendizado, promove crescimento mútuo e potencializa os resultados. Algumas iniciativas visam promover nas escolas a interação entre estudantes e professores em prol do bem estar dos animais.


Fonte: Vininha F.Carvalho - jornalista, administradora de empresas, economista e editora da Revista Ecotour News & Negócios

Nenhum comentário:

Postar um comentário