sexta-feira, 12 de julho de 2019

Você conhece o seu lixo?


No mundo em que estamos vivendo, ter apenas boa vontade com o meio ambiente já não é mais suficiente, é necessário também ser ambientalmente ativo, comprometido e competente. Complicamos tanto as questões ambientais do nosso dia a dia, que acredito termos nos tornado os principais culpados pelas agruras que nossa mãe natureza tem enfrentado.

Somos bons no discurso ambiental, mas somos péssimos em nossas ações ambientais. Falamos muito e pouco fazemos. Sempre transferimos a responsabilidade para outros. Sempre nos isentamos nas questões ambientais. Em algum momento você já refletiu sobre o seu comportamento ambiental? Você conhece o seu lixo?

Dentre as suas atribuições, como ser humano, está a gestão dos resíduos sólidos que você gera e que devem ser destinados de forma adequada para que as legislações ambientais vigentes sejam cumpridas. Ressalto as palavras "legislações ambientais vigentes", pois o seu cumprimento é mandatório e necessário.

É muito importante conhecer o seu lixo, para que você possa tomar as decisões adequadas ao seu gerenciamento. Deve-se tomar conhecimento de seu tipo e quantidade. Podemos simplificar um pouco a análise do seu lixo, separando-o em resíduos recicláveis, não recicláveis e orgânicos. Na categoria dos recicláveis, qual a quantidade de papel, vidro, metal, plástico, madeira e lixo eletrônico (e-lixo) você gera?

Qual a quantidade de não recicláveis e qual a quantidade de lixo orgânico gerados por você no seu dia a dia? Recomento o uso de uma planilha que lhe possibilite quantificar cada tipo de resíduo gerado em um determinado período.

Todo material reciclável deve estar seco. Saiba que outro ser humano vai manusear esse resíduo, portanto, não colocar lixo orgânico ou não reciclável entre os resíduos recicláveis é um dever de todo cidadão.

Do tipo papel, separe jornais, revistas, correspondências, folhetos de propaganda, envelopes, cadernos usados, listas telefônicas, caixas de papelão, caixas de embalagens, papel de embrulho, embalagens "longa vida", etc. Todos secos, sem restos de orgânicos, ou produtos que o tornem não reciclável.

Do tipo vidro, separe copos e potes e vidros em geral, todos secos. Como dica, retire as tampas dos potes, que normalmente são de metal ou plástico.

Do tipo metal, separe latas de refrigerante e cerveja, latas de alimentos, panelas, esquadrias, etc. Importante, todos secos.

Do tipo plástico, separe garrafas plásticas, embalagens plásticas, baldes, bacias, copos plásticos, etc. Repetindo, todos secos.

Do tipo madeira, separe somente madeiras recicláveis, que não possuam colas, tintas ou produtos químicos que tornem o resíduo não reciclável.

Do tipo e-lixo, separe todo e qualquer equipamento eletroeletrônico. Todos eles podem ser destinados de forma adequada.

Os resíduos não recicláveis são todos aqueles que não possam ser reutilizados após transformação química ou física, como por exemplo adesivos, papel higiênico, espelhos, etc. Estes resíduos devem ser destinados à empresas habilitadas e licenciadas para tratar esses materiais, para que não tenham maior impacto ambiental.

O lixo orgânico é todo resíduo de origem vegetal ou animal, por exemplo, restos de alimentos (carnes, vegetais, frutos, etc).

Destine os recicláveis para cooperativas de reciclagem habilitadas para tratar cada tipo de resíduo. Cooperativas são empreendimentos comerciais com uma importante contribuição social, gerando trabalho e renda ao explorar comercialmente os resíduos recicláveis.

Como consumidores, nós já desenvolvemos o hábito de sempre pesquisar o fornecedor e o produto antes da sua aquisição. Agora você deve desenvolver também o hábito de pesquisar se o local para onde você está destinando o seu resíduo, é apropriado, está habilitado e possui capacidade para tratar adequadamente esse resíduo. Conheça o seu lixo, saiba a quantidade de cada tipo, decida quais tipos serão coletados e encontre quem vai separá-lo e retirá-lo. Seja você um cidadão ambientalmente consciente e ativo. Conheça seu lixo, e o mais importante, se responsabilize pela destinação adequada do lixo que você gera.

Transforme-se e transforme o mundo para melhor!


Fonte: Alex Pereira - presidente da Coopermiti, cooperativa especializada em lixo eletrônico

Nenhum comentário:

Postar um comentário