quinta-feira, 14 de março de 2019

Os segredos do cérebro empreendedor


O empreendedorismo está fazendo a cabeça de um número cada vez maior de pessoas, inclusive de quem nunca pensou em ter um negócio, mas nem todo mundo nasce com talento

Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), divulgada em fevereiro em parceria com o Sebrae, mostrou que existem cerca de 45 milhões de empreendedores no Brasil, sejam eles motivados pela necessidade ou pelo desejo.

Os dados revelaram também que o empreendedor brasileiro quer ser independente, gerar seu próprio emprego, mas não necessariamente gerar novos postos no mercado de trabalho. Para se ter uma ideia, dos empreendedores que estão no mercado há mais de 3 anos e meio, 82% não empregam ninguém.

Atualmente, no país, 34,5% da população entre 18 e 64 anos está envolvido no próprio negócio, percentual que vem crescendo mais fortemente desde 2011, quando a taxa era de 26,9%.

A má notícia é quem nem todos eles nasceram com o dom de empreender e podem fechar seus negócios rapidamente por falta de determinados talentos. Crescer em um ambiente familiar empreendedor, com incentivos na escola, pode até influenciar, mas não determina o caráter empreendedor.

Já a boa notícia é que a neurociência comprova que é possível desenvolver e aprimorar habilidades, graças à neuroplasticidade, a capacidade que o cérebro tem de aprender e se modificar.

- Mais rápidos e seguros:

Os segredos do cérebro empreendedor são otimismo, agilidade, disposição e pró-atividade. Vários estudos já demonstraram que há regiões do cérebro que os empreendedores desenvolvem mais do que pessoas que nunca empreenderam.

A rapidez e a segurança na tomada de decisão requerem uma coordenação de diferentes áreas do cérebro.

Há pesquisas que mostram também que empreendedores tomam decisões com mais rapidez, possuem uma visão geral mais ampla e são capazes de desconsiderar com mais facilidade eventuais desarmonias no seu entorno.

Outro traço que caracteriza os empreendedores em relação à tomada de decisões é um certo grau de impulsividade, somado a uma análise cerebral rápida.

“A tomada de decisões ocorre no córtex pré-frontal, mas é preciso que o sistema límbico esteja equilibrado para que possíveis emoções negativas não afetem a qualidade da decisão”, explica Joana Cortez.

Então, qualquer pessoa pode se tornar um empreendedor de sucesso, com um treinamento adequado? A resposta não é fácil. Por um lado, sim, e por outro, a pessoa tem de saber lidar com a incerteza, pelo menos nas etapas iniciais. E isso não se aprende.

- A neuroplasticidade do cérebro:

Todo ser humano pode desenvolver as regiões do cérebro onde se localizam as habilidades que favorecem a atividade empreendedora.

“A densidade de neurônios em cada região do cérebro depende de fatores genéticos e de desenvolvimento, mas não se trata apenas de agrupar neurônios, mas também de conectá-los, e essas conexões podem ser fomentadas com estímulo. É possível aprender”, explica Joana.

Esse aprendizado é possível graças ao fato de que o cérebro é um órgão elástico, aberto a melhorias constantes por intermédio da neurogênese, ou processo de formação de novos neurônios a partir de células-mãe.

O cérebro mantém-se ativo e saudável para aprender se mantemos também certos hábitos, como praticar atividade física, ter uma alimentação rica em ômega três e qualidade do sono.

Pessoas que alimentam expectativas favoráveis controlam suas emoções de uma maneira muito diferente daquelas que estão sempre esperando pelo pior. Pensar positivo também ajuda a ter sucesso no empreendedorismo.



Fonte: Leticia Maciel 

Nenhum comentário:

Postar um comentário