sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Alimentos que jamais devem ser oferecidos aos animais


A relação entre o cão e o tutor mudou nos últimos anos e a proximidade com esse novo membro da família faz com que muitos tutores queiram agradar seus animais o tempo todo. Uma das formas mais comuns de agrado é oferecer petiscos, restos de comida ou alimentos humanos. Com a chegada do final do ano e os eventos festivos, há quem não resista aos pedidos constantes de guloseima de seus cães e acabe cedendo. Porém, alguns alimentos podem ser extremamente tóxicos, levando até mesmo o animal a óbito.

Veja abaixo quais são esses alimentos e entenda porque eles fazem tão mal à saúde dos animais:

1 - Chocolate:

Esse é um dos alimentos proibidos para cães, pois possui um composto tóxico que se chama teobromina. Os efeitos tóxicos nos animais dependem da dosagem, tamanho do animal e teor dessas substâncias no alimento. A médica veterinária da Hill’s Pet Nutrition, Sandra Nogueira, explica que em relação às manifestações clínicas podem ocorrer distúrbios gastrintestinais e cardiotóxicos levando à convulsão e/ou morte.

2- Temperos como alho e cebola:
Comumente utilizados na alimentação humana, o alho e a cebola representam perigo para os cães, seja qual for a maneira de administração (cru, desidratado ou cozido). "Esses ingredientes possuem, respectivamente, dissulfeto de alipropila e tiossulfato, substâncias podem ocasionar vômitos, diarreia, fraqueza e anemia em cães", afirma a veterinária.

3 - Derivados de leites:

Os derivados de leites também devem ser evitados em cães adultos. Os filhotes deverão receber o leite materno durante toda a fase de amamentação, porém após essa fase, ocorre uma diminuição da lactase (enzima que digere o leite) e os animais passam a ter uma digestão prejudicada. Alguns cães podem apresentar casos de dores abdominais, náuseas e diarreia se receberem leite ou derivados após o desmame.

4- Uvas e uvas passas:
No Brasil, temos uma variedade muito grande de frutas e algumas podem ser tóxicas para cães. "As frutas possuem frutose, proteína, gordura, fibras, vitaminas e minerais. Portanto, temos que nos atentar à quantidade oferecida. Na maioria das vezes, elas são bem calóricas e podem colaborar com o ganho de peso desses animais" afirma Sandra. A uva e uva passa são alimento muito tóxicos, podendo até levar ao óbito devido a problemas renais em cães.

5- Café:

Mais um exemplo do que não oferecer aos cachorros é o café. Não apenas ele, mas toda e qualquer bebida rica em cafeína, como chás pretos e energéticos. Esses produtos possuem grandes quantidades de xantina, uma substância que afeta diretamente o sistema nervoso do cão. Agitação, respiração ofegante, tremores musculares e convulsões podem ser um dos sintomas dos cães intoxicados.

Além desses, outros alimentos como nozes de macadâmia, pêssego, ameixa, caqui, abacate, álcool, além de café e ossos de frango (por serem cortantes) devem ser sempre evitados na alimentação do pet.

A veterinária acrescenta que os cães, assim como os gatos, possuem uma necessidade nutricional específica e a melhor opção para fornecer um alimento completo e balanceado, isso significa um alimento que tenha todos os nutrientes essenciais para a saúde deles. 

"Garantir que os cães e gatos recebam o alimento adequado para a sua espécie, em comedouros diferentes e na quantidade ideal, recomendada pelo médico-veterinário ou pelo guia de alimentação na embalagem é fundamental para a saúde dos animais" afirma médica veterinária.

Sandra alerta também que os petiscos industrializados devem ser oferecidos em quantidades controladas em poucos momentos do dia, pois quando ofertados a todo momento, podem colaborar com o ganho de peso. 

"Os petiscos não devem ultrapassar 10% da necessidade energética diária. O melhor momento de dar o petisco é quando seu pet tiver um bom comportamento. Oferecer o petisco sem motivo ou para repelir um comportamento indesejado, como fazê-lo parar de latir, só vai fazer com ele lata mais para ganhar mais petiscos e, consequentemente, ganhar peso", afirma.


Fonte: Sandra Nogueira - médica veterinária


Nenhum comentário:

Postar um comentário