quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Entenda os diferentes tipos de hospedagem e escolha a melhor opção



As férias de fim de ano estão chegando e é hora de se programar. Para quem tem a oportunidade de viajar e se hospedar pela primeira vez em um hotel, seja no Brasil ou no exterior, surgem dúvidas na hora de escolher o tipo de acomodação. O que é melhor para mim e minha família? Hotel, pousada ou resort? Quais as diferenças? Qual deles se encaixa melhor na experiência que desejo ter?

Se o desejo é passar horas à beira da piscina, tomando uns bons drinks sem se preocupar com as crianças e a conta final, os resorts são uma boa proposta. No entanto, nem todo mundo busca por sossego. Pode-se querer ganhar o mundo, conhecer cada cantinho do seu destino, bater perna sem ter hora para voltar. Para esses casos, os hotéis e pousadas são os mais indicados.

- Resorts:

Segundo Marcos Dias, CEO do clube RDC Férias, em resorts, o cliente encontrará fartura e acessibilidade na alimentação, muitas vezes em sistema all inclusive. Com esta modalidade, está liberado o consumo, de acordo com o quê o estabelecimento oferece e determina. A outra grande vantagem vem da infraestrutura, cuja finalidade é proporcionar uma experiência imersiva ao hóspede nas próprias dependências do estabelecimento, sem ter que se deslocar para fora dele. Piscinas, playground, SPA, salão de beleza, recreação para as crianças, bares, atividades. 

“Tudo isso, geralmente, está inserido no valor da diária. Mas, por não haver uma padronização específica, que inclua cardápio e serviços oferecidos nas diárias, é importante pesquisar sobre o que cada resort oferece de diferencial e seus possíveis valores”, explica Dias.

- Hotéis:

Os hotéis, no entanto, trabalham diferente, de uma forma que permite que os hóspedes tenham mais liberdade para aproveitar a sua estadia. Essa opção é mais indicada para quem vai “turistar” por aí. Essa variedade hoteleira é mais flexível, mudando conforme a sua estrutura e pacotes acordados. Geralmente, o café da manhã está incluso no valor da diária, no entanto há outros tipos de regimes de alimentação, como a meia pensão e pensão completa, ou ainda o all inclusive, que dependem das características e operação de cada hotel e local.

“No Clube RDC Férias, eles são acordados à parte da mensalidade, pois diferem em sua oferta, dificultando a inclusão no valor mensal pago pelo associado. Outros serviços que também podem fazer parte da diária ou serem cobrados pelos hotéis são o estacionamento, lavanderia, serviço de quarto, wi-fi, cama extra e frigobar. O interessante é saber o que é mais coerente com a sua viagem e expectativa para que tudo seja lembrado com bons sentimentos”, aconselha o diretor de Hotelaria da RDC Férias, Júlio Castanheira.

- Pousadas:  

Já as pousadas têm um ambiente mais intimista, com uma estrutura menor em comparação aos hotéis ou resorts, porém não menos aconchegante e charmosa. Uma pousada tem a capacidade máxima de até 30 unidades habitacionais e 90 leitos distribuídas em área térrea, em até três andares ou em chalés e bangalôs. É uma opção cujo serviço dispõem de recepção e alimentação. Um cantinho mais próximo de um lar em acolhimento, geralmente com uma administração familiar e poucos funcionários. Como os hotéis e resorts, essa modalidade também pode variar de 1 a 5 estrelas, conforme a estrutura oferecida.

- Cuidados: 

O primeiro deles, crucial e ao mesmo tempo esquecido, é a solicitação da reserva. Parece simples e é, pois apenas com ela a estadia em resorts e hotéis estará segura e tranquila. Certifique-se se o pagamento de algum adiantamento ou sinal se faz necessário para confirmação da reserva, e de ter às mãos, na hora do check-in, documentos importantes de identificação. Esses cuidados são a sua segurança, assim como orientações relevantes para fazer desse momento inesquecível.

Castanheira esclarece que todos os hóspedes no Brasil precisam preencher a Ficha Nacional de Registro Hóspedes – FRNH. É uma aplicação obrigatória, determinada pelo Ministério de Turismo a qual armazena todos os dados relativos à hotelaria. Se a viagem é internacional ou o hóspede for estrangeiro, vale ressaltar que o passaporte é imprescindível. Em algumas situações, será requisitado o visto de entrada no país.

Um último ponto, que sempre causa dúvidas e em algumas vezes surpresas, é a hora do check-out. Saber quais meios de pagamento são aceitos, por exemplo, bandeiras de cartão ou cheque, e como funciona a forma de pagamento, por exemplo, se é aceito parcelamento, resolve metade dos problemas. Alguns estabelecimentos pedem o número do cartão de crédito como segurança da reserva, outros exigem o pagamento das diárias no check-in e há aqueles que apenas no check-out. Cada um à sua maneira, como as formas de hospedagem.

“Nesta hora também acontecem as surpresas com conta de estacionamento, frigobar e outros possíveis custos que, dependendo do hotel, resort ou pousada, não estão inclusos na diária. Por isso, dica importante se dá duas vezes: verifique as características da hospedagem que você escolheu, quais serviços estão inclusos e quais são cobrados à parte”, alerta Castanheira. Por não haver uma padronização específica, que inclua cardápio e serviços oferecidos nas diárias, uma experiência anterior pode não ser referência para uma futura. Sabendo de todas essas particularidades, faça sua escolha e suas reservas com antecedência e boa viagem!



Fonte: Daniela Ferreira 

Nenhum comentário:

Postar um comentário