terça-feira, 4 de setembro de 2018

Dez vinhos para provar durante as vindimas do Alentejo


É tempo de vindimas no Alentejo, a região mais autêntica de Portugal. É no mês de setembro que os produtores do excelente vinho local colhem as uvas e dão início a um processo que resulta em algumas das melhores bebidas do mundo. Nesta época, o destino fica cheio de programações exclusivas, que vão desde a colheita até a pisa das uvas.

Tudo é feito com muito carinho e alegria, até porque o período das vindimas é um momento de festa para aqueles que cuidaram das vinhas o ano todo. E que tal aproveitar esta fase para provar alguns dos rótulos alentejanos? 


- Listamos dez deles abaixo.

- Malhadinha:

É o mais famoso rótulo da Herdade da Malhadinha Nova, que nasceu com o sonho de produzir o melhor vinho do mundo. Se ainda não chegaram lá, estão perto, e o Malhadinha tinto é prova disso: feito a partir de diversas castas, apresenta um aroma complexo de paladar cheio.



- Torre de Palma:

Em Monforte, o Torre de Palma mostra que é possível, sim, ser muito bom em várias coisas. É um hotel de primeira linha, que oferece muita qualidade e conforto aos seus hóspedes, mas também é o orgulhoso produtor de vinhos inesquecíveis, sejam eles tintos ou brancos.


- Torre:

O Esporão é um respeitado produtor de vinhos, que está entre os mais conhecidos da região alentejana, e o Torre é um de seus rótulos tintos, memorável, icônico e muito original. Feito com uvas colhidas manualmente e envelhecidas em barricas de madeira francesa, garante um sabor único.

- Equinócio:

Um branco de personalidade, o Equinócio é uma bebida que encanta ainda mais quando se conhece onde e como ele foi criado: o Cabeças do Reguengo. É uma propriedade fascinante, empenhada em fazer slow wines. Esta quinta familiar recupera o sistema agrícola tradicional e aposta nos elementos da natureza.


- Invisível:

O Invisível é um dos projetos originais da Ervideira. A curiosidade é que ele consiste em um vinho branco feito com uvas tintas. Isso é possível pois utilizam apenas a “lágrima” da uva, gotas de suco que se tiram da mesma sem esmagá-la nem usar a casca. Impossível não ficar curioso para provar.

- Monte dos Amigos:

Fáceis de beber, os vinhos Monte dos Amigos foram desenvolvidos pela Casa Relvas para celebrar a amizade. Tinto, branco ou rosé são perfeitos para acompanhar uma roda de conversa com aquelas companhias queridas.


- Monsaraz:

Este rótulo da CARMIM conta com diversas variações de tinto. Se o clássico é macio e redondo, o Monsaraz Millennium tem taninos firmes e final de prova prolongado. O Reserva, por sua vez, é amplo e profundo, enquanto o Cabernet Sauvignon é potente e fresco. São inúmeras opções para agradar qualquer enófilo.


- Arché:

Este não é um vinho, mas uma aguardente vínica, produzida pela Herdade do Sobroso. Feita com destilação lenta e harmoniosa e envelhecida durante mais de 10 anos em barricas de carvalho francês, tem alto teor alcoólico, aroma de vinho e notas de especiarias.

- Herdade dos Grous Moon Harvested:

Esta edição nasce da aplicação de conhecimentos ancestrais, que dizem que os ciclos da lua interagem com o desenvolvimento das plantas. Por isso, suas uvas foram colhidas manualmente na fase lunar mais adequada, resultando em uma bebida de cor rubi profunda e sabor rico.


- Marquês de Borba Branco:
Para preservar a frescura, as uvas são colhidas de manhã cedo e vão direto para pequenas caixas, começando assim a produção de um vinho branco de acidez bem marcada e casada, desenvolvido pela adega João Portugal Pramos.


- Sobre o Alentejo:

Considerado o destino mais genuíno de Portugal, o Alentejo é a maior região do país. Privilegiando um lifestyle tranquilo em que a experiência de viver bem dá o tom, conta com belas praias intocadas e cidades repletas de atrações ímpares, como castelos e monumentos históricos. Detentor de quatro títulos da UNESCO e diversos outros prêmios e reconhecimentos internacionais no setor do turismo, o Alentejo oferece opções para todos os tipos de viajantes, sejam famílias, casais em lua de mel ou aventureiros.




Fonte: Jessica Ferreira


Nenhum comentário:

Postar um comentário