segunda-feira, 17 de setembro de 2018

De pequena para média ou grande empresa: como se preparar para crescer?


O crescimento de uma empresa é sempre algo muito positivo aos olhos de seus proprietários. Geralmente, trabalha-se muito para que novas esferas de negócios sejam atingidas. Entretanto, com esse desenvolvimento, é comum aparecerem também as chamadas dores do crescimento. Muita coisa precisa mudar para que a empresa acompanhe a nova demanda. Assim, o que era para ser um momento feliz e de prosperidade, muitas vezes, acaba se tornando mais um problema nas costas do empreendedor.

Mas isso não precisa ser sempre assim. Para evitar que o crescimento se transforme em problema, é imprescindível que as empresas planejem e se preparem para atuar em outro patamar. Pensando dessa forma, é preciso ficar atento aos indicadores de crescimento constantemente, mantendo um planejamento que preveja as ações necessárias para acompanhar as mudanças. Quando uma empresa está crescendo, ela apresenta alguns indícios. O estoque fica baixo, o trabalho se torna mais intenso, há um aumento no faturamento, entre tantas outras variações.

Nessas horas, é importante estar atento a algumas situações específicas. Por exemplo, será que o aumento na demanda é apenas uma questão sazonal do mercado ou a empresa está efetivamente vislumbrando um crescimento em médio e longo prazo? Ter essa resposta é crucial para não tomar decisões equivocadas. Se o crescimento for resultado de algo que não tende a ser permanente, não cabe fazer investimentos a fim de ampliar a capacidade produtiva. Caso contrário, o que seria um lucro extra pode se tornar um grande prejuízo.

Descartada essa hipótese, aí sim é hora de repensar a empresa a partir de um novo panorama. Primeiramente, a companhia precisa analisar sua saúde financeira. Para crescer, é necessário investir. Assim, é preciso analisar o fluxo de caixa e planejar os investimentos estruturais que serão necessários. Aqui, estamos falando na compra de novos maquinários, ampliação do espaço físico, contratações e tantos outros recursos necessários para aumentar a oferta de produtos ou serviços de uma empresa.

Nesse sentido, é imprescindível que a equipe esteja muito ciente do momento que a empresa enfrenta para que todos possam se ajudar. Nessa fase, é comum vermos alguns problemas, em especial na parte de processos, já que são necessárias muitas adequações para acompanhar o ritmo de crescimento. Se em uma empresa com 10 funcionários as informações são rapidamente disseminadas, o mesmo não acontece em uma com 50. Dessa forma, é preciso estruturar novos processos e, principalmente, capacitar as pessoas para que as mudanças sejam tranquilas e saudáveis em vez de traumatizantes.

Assim, o RH assume um papel fundamental e muito estratégico. Além de investir nas contratações, buscando preencher as novas vagas que foram abertas, é necessário que esse departamento se mantenha atento, à fim de que a cultura, o DNA original da empresa, não se perca em meio a tantas novidades. Promover a integração entre os que já estavam e os que estão chegando é apenas uma parte do processo. É preciso que, juntos, todos se ajudem nessa fase de adaptação.

Outra necessidade que muitas empresas acabam deixando de lado é a inteligência de negócio. Se para crescer é preciso investir na parte física, não podemos deixar de lado a parte mais “mental” da empresa, que seriam os softwares. Muitas soluções tecnológicas são capazes de automatizar processos burocráticos, de baixo valor agregado, que tomam muito tempo dos colaboradores e ainda ampliam os riscos de erros banais. Buscar a digitalização da empresa é um dos passos fundamentais para quem está em crescimento.

Para orquestrar todas essas mudanças, é muito importante que o empreendedor busque ajuda. Sem dúvida, esse desafio vai demandar mais preparo do líder. Cabe destacar a necessidade de se manter atualizado, buscando cursos e até a participação em eventos do seu setor a fim de descobrir novas oportunidades e possibilidades de mercado. Um apoio fundamental pode ser advindo de um processo de coaching empresarial, onde o empreendedor é treinado para lidar com todos os desafios que a nova fase lhe impõe. Planejamento será sempre a melhor opção para quem deseja se livrar ou pelo menos reduzir as tão temidas dores do crescimento.

Fonte: Denis Luna - empresário, treinador de empresários e sócio da ActionCOACH São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário