quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Mongólia oferece cenários admiráveis, montanhas e lagos que parecem espelhos


Quando se fala em Mongolia surge de imediato na tela mental a figura do imperador Genghis Khan e suas aventuras, paisagens intocadas e nômades cavalgando por desertos espetaculares. É destino conhecido por cenários admiráveis, estepes e montanhas, lagos que parecem espelhos e muita vida selvagem, em áreas onde quase não se vê sinal de vida humana. É ali que se pode viver a autêntica experiencia do deserto, em roteiros exóticos e raros, como esse que propõe a Interpoint Viagens & Turismo em parceria com a operadora Remotelands.


Partindo de Beiging (China) ou Tóquio (Japão) a viagem começa com a capital Ulaanbaatar, a parte do país mais industrializada, onde o velho e o moderno coexistem harmoniosamente. Entre seus maiores atrativos, Sukhbaatar Square, a praça central da cidade que homenageia Genghis Khan - e o mercado de NaraanTuul, também conhecido como “mercado negro”, onde se encontram artesanato, tapetes, celas de montaria e trajes típicos da região. Não deve faltar aí uma visita ao Hutsai National Park, berço dos célebres cavalos Prezewalski, uma sub-espécie de cavalo selvagem, nativa dos desertos da Mongolia.


A próxima escala é a parte sul do Deserto de Gobi, voando do aeroporto de Ulaanbaatar até Dalanzadgad, em percurso de uma hora até chegar ao deserto, com hospedagem no premiado ThreeCamelLodge, classificado entre os 50 melhores eco-lodges do mundo, que abriga um camping de luxo com banheiro privativo e instalações muito confortáveis.

Ainda no deserto, é imperdível ver os incríveis Petroglyphs – esculturas rupestres estimadas entre 5mil e 6 mil anos de existência, que valem a subida até o topo da montanha, em Havtsgait. Em seguida, não perca Bayanzag, também conhecido como os Penhascos Flamejantes ou Gobi do Sul. As rochas vermelhas projetam-se rapidamente no céu e mostram uma visão incrível da luz do sol, em tons de tangerina. 



A aventura continua com partida de trem no Trans-Mongolian, permitindo ricas paisagens enquanto não se chega a Ulan-Ude, fascinante destino de cultura mongol-budista, na Sibéria oriental, para percorrer os vilarejos de Tarbagatai eDesvanitkovo, desfrutar de um almoço típico nas casas das famílias locaise aprender sobre seu modo de vida. 

O próximo destino é Irkutsk, capital da Sibéria Oriental, com o deslumbrante Lago Baikal a apenas 70 km, e sua arquitetura do seculo XIX, igrejas renovadas, e o incrível projeto Kyartal, um bairro inteiro constituído de edifícios de madeira da Sibéria, que abriga novos restaurantes, barés, cafés, e o curioso museu Taltsy, ao ar livre. 



A experiência prossegue com excursão de helicóptero ao Vale dos Gêiseres e à Caldeira de Uzon, em Petropavlosk-Kamchatsky, (com hospedagem no confortável Hotel Avamcha), e em seguida, com sobrevoo pelo famoso Lago Kurilskoye, para avistar os ursos marrons, as águias-do-mar estelares e os locais de desova dos salmões.No dia seguinte, um veículo especial leva ao Vulcão Avachinsky pela manhã, em um trajeto de cerca de duas horas. É um dos mais ativos da região - com crateras espetaculares cheias de lava endurecida e fumaça escorrendo. 

A viagem não é muito difícil e vale para iniciantes. Ainda em Petropavlosk-Kamchatsky, vale viajar até o lindo rio Bystraya, a cerca de três horas da cidade. Percorra o rio em raftings emocionantes, e desfrute de atividade de pesca no gênero “pegar e soltar”. Em seguida, conheça as fontes termais quentes de Malkinskiye, no vale do rio - ótimo lugar para tomar banho e descansar.


Depois de tudo isso, é hora de se despedir dessas majestosas paisagens e pegar o vôo para Vladivostok, para um pernoite, antes de voar de volta para Tóquio ou Beijing, e de lá para cá, partir com aquele “gostinho de quero mais”.



Fonte: Lucia Paes de Barros


Nenhum comentário:

Postar um comentário