quarta-feira, 21 de novembro de 2018

O segredo é cuidar do jardim


Já ouviu falar aquela expressão que o segredo é cuidar do jardim para que as borboletas voltem e queiram ficar? Eu acredito que ela pode muito bem ser empregada em qualquer situação da vida, inclusive, dentro das organizações.

Nunca concordei com o termo “reter talentos”, apesar de saber que é muito utilizado no mundo corporativo. Minha opinião deriva da seguinte conclusão: “retenção” lembra prender, prisão e aprisionar. E ninguém gosta de sentir-se encarcerado de alguma forma.

Além disso, o que poderia definir “talento” dentro de uma organização? Enxergo como talento tanto o mais alto diretor da empresa como a “tia” que prepara e serve o café enquanto estamos em reunião. Independentemente do cargo ocupado e funções realizadas, ambos são extremamente importantes para o negócio. Qualquer profissional que desenvolva sua atividade com dedicação e carinho se torna um talento especial para a empresa.

Pensando sob essa lógica, todos os colaboradores da empresa são talentos que podem agregar muito valor ao negócio. E se todos são importantes temos que tentar mantê-los ao nosso lado. Mas como fazer isso? Como evitar que seus olhares sejam atraídos para o lado de fora da organização, fazendo com que escolham o mercado?

Ao longo dos anos de experiência como gestora de RH aprendi que não trabalhamos de forma crua com recursos humanos. Esse já é o primeiro erro encontrado na área: a nomenclatura. Na verdade, trabalhamos com desenvolvimento de pessoas. E, além de trabalhar o potencial das pessoas, é preciso também desenvolver o ambiente para que esses profissionais queiram fazer parte da empresa e optem por permanecer.

É aí que podemos assimilar com a expressão “o importante é cuidar do jardim”. Quando a organização cria um ambiente saudável, com ações que valorizem, desenvolvam e integrem seus profissionais, além de se mostrar aberta para ouvir suas necessidades, automaticamente ela se destaca perante outras instituições do mercado e se torna mais atraente.

Mas como fazer isso? É fácil. O simples funciona! É importante buscar conquistar os corações, criar relações com os profissionais de forma verdadeira e não ficar na superficialidade ou no discurso. É preciso investir em ações que façam o colaborador se sentir valorizado.

Ações desse tipo fazem com que o profissional se sinta parte importante do negócio. E isso reflete diretamente na produtividade e comprometimento. Quando esses dois fatores estão positivos na empresa, é possível obter aumento no resultado financeiro, redução de gastos e baixos índices de turnover.

Por ser o local no qual os profissionais passam mais tempo, até mesmo do que na própria casa, criar essa atmosfera harmônica e interessante faz com que se sintam bem, entusiasmados e felizes.

É preciso fazermos da empresa uma grande família. Dividimos as batalhas do dia-a-dia, mas também compartilhamos as glórias. Celebramos juntos cada conquista. E com isso cuidamos do nosso jardim. Assim, construímos laços com nossos profissionais. Ou seja, nossas borboletas preferem ficar.





Fonte: Maria José Lopes - gerente de Desenvolvimento Humano da Accesstage

Nenhum comentário:

Postar um comentário